Topo

Clientes da Webjet com passagens compradas serão atendidos pela Gol

Reprodução
Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

23/11/2012 12h31Atualizada em 23/11/2012 18h04

Os clientes da Webjet com passagens compradas serão transferidos para voos da Gol, que anunciou o fim da empresa aérea de passagens baratas nesta sexta-feira (23). A empresa afirma em comunicado que remarcações de voos poderão feitas sem nenhuma cobrança extra.

Desde a meia-noite de hoje, os seis Boeings-737/300 da Webjet pararam de voar. Porém, segundo a Gol, "os clientes e passageiros da Webjet serão integralmente assistidos pela empresa, e terão seus voos garantidos".

No site da Webjet, um comunicado informa que os clientes da empresa serão atendidos normalmente nos guichês da Gol. Os horários dos voos não serão alterados, segundo a empresa.

A aérea disponibilizou um número de telefone para que os clientes possam tirar dúvidas (0300-115-21-21).

Uma das medidas que deve ser implementada em todos os voos da Gol é a venda de lanches a bordo. Atualmente, o serviço está disponível apenas em alguns voos da companhia.

Gol anuncia fim da Webjet e demite 850 funcionários

A Gol Linhas Aéreas anunciou o fim das atividades da Webjet, comprada pela empresa em julho de 2011. A Gol também disse que vai cortar mais 850 empregados entre tripulação técnica, tripulação comercial e manutenção de aeronaves.

A Gol concluiu a compra da WebJet em outubro de 2011, por R$ 70 milhões, além de ter assumido dívidas de cerca de R$ 200 milhões. O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a fusão das duas empresas em outubro.

"Modelo de negócios deixou de ser competitivo"

Em nota, a Gol afirma que o modelo de negócios da Webjet deixou de ser competitivo com a alta nos preços do combustível e o alto consumo dos aviões que eram utilizados pela empresa.

"A Webjet possui um modelo de operação com base em uma frota composta majoritariamente por aviões modelo Boeing 737-300, de idade média elevada, alto consumo de combustível e defasagem tecnológica. Esse modelo deixou de ser competitivo", disse a Gol em fato relevante.

Cerca de 3.000 pessoas foram demitidas em 2012

Após o corte de quase 3.000 funcionários desde o início do processo de fusão entre as duas empresas, a Gol não prevê novas demissões. Além dos 850 funcionários anunciados nesta sexta-feira, outros 2.000 já tinham sido desligados da empresa neste ano.

"Agora, com a nova estrutura, incluindo desligamento desses 850 colaboradores, nossa estrutura ficará estável em torno de 17 mil colaboradores", afirmou o diretor-presidente da empresa, Paulo Kakinoff, em teleconferência.

(Com informações de agências)

Mais Economia