PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Mídia e Marketing

UOL entrevista o governador do DF, Ibaneis Rocha, nesta terça, às 11h30

Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal - Arte/UOL
Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal Imagem: Arte/UOL

Do UOL, em São Paulo

01/03/2021 16h00Atualizada em 01/03/2021 21h22

Nesta terça-feira (2), às 11h30, o UOL Entrevista conversa ao vivo com o governador do Distrito Federal (DF), Ibaneis Rocha (MDB), que decretou lockdown na unidade federativa. A entrevista, conduzida pelo colunista Tales Faria e pela repórter Natália Lázaro, será transmitida pela home do UOL e pelos canais do UOL no YouTube e Facebook.

O político tem sofrido pressão dos empresários, comerciantes e de parte dos brasilienses por conta do decreto que restringe as atividades econômicas e de lazer na capital federal. Ele publicou três versões do texto em apenas dois dias.

Na sexta-feira (26), ele chegou a anunciar um lockdown noturno com início em 1º de março. Porém, horas depois, ele publicou outra medida mais rígida e com prazo indeterminado.

O clima de tensão foi alastrado na capital federal e parte da população contra o decreto ameaçou fechar a rua da residência do governador, caso não revogasse a publicação.

Depois de uma longa reunião com secretários do GDF no sábado (27) pela manhã, Ibaneis publicou um terceiro texto flexibilizando a medida e estabelecendo o prazo de 15 dias para seu término. Ainda assim, ele seguiu pressionado pelos empresários que pediram, inclusive, pela derrubada do seu cargo, durante manifestações neste domingo (28).

Alvo de críticas entre os brasilienses

Nos últimos dias, o Palácio do Buriti tem virado palco de atritos entre o governador e brasilienses contrários às medidas de restrição.

Ibaneis foi um dos primeiros governadores a estabelecer medidas de fechamento do comércio com a chegada da pandemia da covid-19 no Brasil.

Logo de início, ele decretou lockdown em algumas regiões administrativas do DF e a paralisação total das atividades, além do uso obrigatório de máscara.

Com isso, ele foi elogiado por parte da população, que estava assustada com a chegada da nova doença à capital federal. Porém, tempos depois, ele realizou uma viagem "para descanso" ao litoral do Nordeste com sua família, o que gerou indignação da população obrigada, por decreto, a ficar em casa.

Tentativa de acordo entre o governo federal e local

EM 2018, ainda na corrida pelo Buriti, Ibaneis declarou apoio a Jair Bolsonaro (sem partido), que veio a ganhar as eleições presidenciais. Porém, com a pandemia, tem havido confronto entre o Executivo federal e parte dos governadores, que tomaram rédeas para tentar evitar o avanço da doença em seus estados.

De acordo com o decreto assinado pelo governador Ibaneis, o regime de restrição fica em vigor até 15 de março. Ainda ficam abertos: supermercados (incluindo padarias, mercearias e açougues); farmácias; postos de combustíveis e lojas de conveniências; bancos e lotéricas; serviços automotivos; bancas de jornais; hotéis; óticas e papelarias.

Igrejas e templos religiosos continuam em funcionamento, assim como o Zoológico e parques. Com o decreto, funcionários do GDF voltam ao trabalho remoto e fica proibida aulas presenciais nas redes públicas e privadas.

Segundo balanço da Secretaria de Saúde, divulgado na noite de ontem, foram confirmados 296.694 casos de covid-19 no DF. Destes, 4.838 morreram. No domingo, sete mortes foram notificadas ao governo.

Mídia e Marketing