PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Desempregada pode perder Auxílio Brasil por não ter celular para cadastro

Sem celular, Ana Cristina Soares, 49, de Salvador, só recebeu um QR code - Alexandre Santos/UOL
Sem celular, Ana Cristina Soares, 49, de Salvador, só recebeu um QR code Imagem: Alexandre Santos/UOL

Alexandre Santos

Colaboração para o UOL, em Salvador

13/07/2022 17h53Atualizada em 14/07/2022 09h12

Beneficiários do Auxílio Brasil, ex-Bolsa Família, têm ficado horas e horas em filas em postos de atendimento pelo país para tentar atualizar seus cadastros e não perder o benefício. Em Salvador, o UOL observou filas que davam a volta no quarteirão desde a madrugada, na porta da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza. Desempregada, uma mulher que não tem nem celular não conseguiu atendimento e saiu de lá só com um QR code, que ela não tem como usar.

O prazo para atualizar o cadastro no CadÚnico (Cadastro Único) vai até 31 de julho para os casos em que há inconsistências nas informações (veja mais abaixo quem precisa fazer). A atualização deve ser feita presencialmente, mas antes é preciso agendar atendimento via aplicativo, site, WhatApp ou telefone, canais disponibilizados pela própria secretaria. O problema é que muita gente não consegue agendar e vai ao posto assim mesmo. Além disso, até quem fez o agendamento precisa enfrentar filas.

Hipertensa e diabética, Ana Cristina Soares, 49, chegou ao posto por volta da 1h da madrugada, sem agendamento. Ao ser atendida, explicou a um funcionário do posto que não tem celular. Mesmo assim, recebeu um papel com um QR code, cuja leitura depende de aparelhos como celular e tablet. Ela diz não saber ler nem escrever.

"Preciso atualizar o NIS [Número de Identificação Social]. Meu final era oito, agora é nove. É só para trocar isso. Mas mal sabem explicar. Eles me mandaram ir a uma lan house para tentar agendar e vir outro dia", disse.

Desempregada, ela afirma que precisou tomar R$ 30 emprestados para pegar um Uber.

Jutaiane Nem, 30, relatou ter chegado à secretaria por volta das 6h30, carregando o filho pequeno nos braços. Desempregada há cerca de três anos, a autônoma esperava ter alguma prioridade no início da fila, já que o menino de dez meses sofre de insuficiência renal.

Jutaiane Nem, 30, enfrenta fila em Salvador para não perder o Auxílio Brasil - Alexandre Santos/UOL - Alexandre Santos/UOL
Jutaiane Nem, 30, enfrentou fila com o filho pequeno no colo
Imagem: Alexandre Santos/UOL

Se perder o Auxílio Brasil, diz que não terá recursos para cuidar da criança. "Só preciso atualizar meu cadastro, mas não consegui fazer o agendamento pelo aplicativo. Ele [o filho] tem problema renal e não pode estar em aglomeração, principalmente por causa da covid, que não acabou. Espero que tenham compreensão e me ajudem, para que eu não precise ir para o fim da fila", diz.

Com fome e sem dinheiro para comer, Maria Marta (ela não quis informar o sobrenome), 49, saiu às 3h da madrugada do bairro de Castelo Branco, onde mora, e cruzou a cidade para arriscar ser atendida pessoalmente. A dona de casa também reclamou do aplicativo indicado para realizar o agendamento.

Maria Marta cruzou a cidade para enfrentar a fila - Alexandre Santos/UOL - Alexandre Santos/UOL
Maria Marta cruzou a cidade para enfrentar a fila
Imagem: Alexandre Santos/UOL

"Tentei fazer pelo celular, mas o processo não conclui. Pede para cadastrar um email. Quando chega na parte do email, não conseguimos de jeito nenhum. Aí o povo vem para a porta. Se conseguíssemos resolver pelo aplicativo, não estaríamos aqui", afirma.

Também diabética, Maria Madalena Santos, 43, afirma que chegou ao posto ainda ontem, às 17h, para assegurar uma vaga no início da fila.

Maria Madalena Santos chegou ao posto ainda na tarde de terça-feira - Alexandre Santos/UOL - Alexandre Santos/UOL
Maria Madalena Santos chegou ao posto ainda na tarde de terça-feira
Imagem: Alexandre Santos/UOL

Às 7h, embora tivessem apenas quatro pessoas à sua frente, ela já não tinha expectativa de ser atendida, porque não tinha feito agendamento. "Ouvi um funcionário dizer ali que só vai ser atendido quem estiver agendado", relatou.

Ela mora com o marido e três filhos, de 18, 19 e 20 anos, e tem medo de perder o benefício.

Vendedor de bala tenta entrar no Auxílio Brasil

 Luis Alberto Conceição tenta receber o benefício desde o ano passado - Alexandre Santos/UOL - Alexandre Santos/UOL
Luis Alberto Conceição tenta receber o benefício desde o ano passado
Imagem: Alexandre Santos/UOL

O caso do vendedor de bala Luis Alberto Conceição, 39, é diferente. Ele diz que tenta desde o ano passado, sem sucesso, ser beneficiário do Auxílio Brasil.

"Não consegui até hoje. Tenho que vender um bocado de bala de gengibre para ganhar um trocado", afirma ele, que diz ter acordado às 3h para se "aventurar" na "fila dos sem agendamento".

Secretaria não informa se há problemas técnicos

O UOL procurou a Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza e questionou se há registros de problemas técnicos nos canais indicados para realização de agendamento e qual a solução para quem não conseguir, mas a pasta não respondeu

Em nota, o Ministério da Cidadania informou que, diante dos problemas mencionados pela reportagem, avalia a possibilidade de prorrogar o prazo para que os beneficiários convocados compareçam aos postos para atualizar os cadastros.

Dados divulgados pela Prefeitura de Salvador apontam que a fila de pessoas no CadÚnico que tentam receber o Auxílio Brasil cresceu 16,27% em 2022, passando de 343.738 mil para 410.554 famílias.

Dessas, 13,5 mil estão na extrema pobreza (vivem com até R$105 por pessoa) e14,8 mil estão em situação de pobreza (vivem com entre R$ 150,01 e R$ 210).

    Como saber se preciso atualizar os dados?

    Para saber se precisa atualizar os dados para não perder o benefício, é preciso verificar seu cadastro pelo aplicativo Cadastro Único ou na versão web no endereço cadunico.cidadania.gov.br. Nessa página, também é possível encontrar o endereço dos postos de atendimento. É necessário estar logado no Gov.BR.

    Além disso, as famílias beneficiárias do Auxílio Brasil receberão mensagens de aviso no extrato de pagamento do benefício e pelo aplicativo do programa.

    Segundo as normas do Ministério da Cidadania, as famílias inscritas no CadÚnico devem atualizar as informações a cada dois anos, ou sempre que houver alguma alteração, seja na composição familiar, no endereço ou na situação de trabalho e renda de seus membros.

    Quais são os canais indicados para agendamento em Salvador?

    A secretaria informa os seguintes canais para agendar atendimento: