Conselho do FMI aprova revisão do programa de empréstimos da Argentina, liberando US$ 4,7 bilhões

(Reuters) - O Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou na quarta-feira a mais recente revisão de seu programa de 44 bilhões de dólares com a Argentina, permitindo o desembolso de 4,7 bilhões de dólares.

O fundo disse em um comunicado que, mesmo que as principais metas do programa não tenham sido cumpridas até o final do ano passado "devido a graves contratempos de política", ele aprovou isenções de não cumprimento.

"As metas do programa foram modificadas, de acordo com as ações iniciais e os planos ambiciosos das autoridades para colocar o programa de volta nos trilhos", disse o fundo.

O conselho também aprovou uma extensão do programa até 31 de dezembro de 2024, "juntamente com algumas mudanças de fase dos desembolsos planejados dentro do envelope existente do programa" O FMI não forneceu mais detalhes sobre as mudanças.

O governo e a equipe do FMI concordaram recentemente com a sétima revisão do programa, que foi adiada em meio a uma mudança de governo quando o presidente Javier Milei assumiu o cargo em 10 de dezembro.

"O novo governo está tomando medidas ousadas para restaurar a estabilidade macroeconômica e começar a lidar com os obstáculos de longa data ao crescimento", disse a diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, no comunicado.

Ela disse que as "políticas inconsistentes do governo anterior" haviam deixado uma "herança difícil".

No início desta semana, o FMI reduziu sua previsão para o PIB da Argentina em 2024 para uma contração de 2,8% em relação à visão anterior de uma expansão de 2,8%, principalmente devido aos efeitos esperados das reformas propostas pelo novo governo.

A aprovação de quarta-feira leva os desembolsos no âmbito do programa de 44 bilhões para 40,6 bilhões de dólares, informou o fundo.

Continua após a publicidade

O FMI disse que, após uma recente desvalorização e "realinhamento da taxa de câmbio", as novas políticas devem "continuar a garantir as metas de acumulação de reservas".

De acordo com os últimos dados informados pelo banco central, as reservas da Argentina subiram para 27,6 bilhões de dólares na quarta-feira, ante 25,1 bilhões de dólares no fechamento da terça-feira.

(Reportagem de Walter Bianchi, Sarah Morland e Anthony Esposito)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes