Bolsas

Câmbio

No Ratinho, Meirelles enfatiza corte de despesas para reduzir impostos

  • Divulgação

    O ministro Henrique Meirelles durante gravação do 'Programa do Ratinho'

    O ministro Henrique Meirelles durante gravação do 'Programa do Ratinho'

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, enfatizou várias vezes, em entrevista ao Programa do Ratinho exibida na noite desta sexta-feira (2) no SBT, a necessidade de o governo reduzir despesas para poder, em seguida, diminuir a carga tributária no país. "Isso passa por reformas, algumas delas não tão populares, como a da Previdência, que esperamos seja votada no Congresso tão logo quanto possível", afirmou. A entrevista foi gravada na última quinta-feira (1º).

Meirelles destacou projeto de simplificação tributária que vem sendo preparado pelo governo e discutido com parlamentares. "O projeto está quase pronto na Receita Federal e vamos apresentar ainda este ano", prometeu.

O ministro também abordou o excesso de burocracia, em especial para abertura de empresas, dizendo que é necessário acabar com ela e que o governo tem projeto para ir corrigindo, e que vem sendo discutido com estados e municípios.

Meirelles posicionou-se favorável à privatização dos presídios. "É uma boa ideia, que está sendo testada em vários países. Temos que ver quais serão as obrigações das empresas que ganharem as concessões, como vamos cobrar delas."

Ainda na questão da segurança, Meirelles voltou a considerar acertada a decisão do governo federal de intervir nessa área no Estado do Rio. Mencionou reunião do presidente Michel Temer com todos os governadores na quinta-feira, da qual ele participou, para ver como é que se vai enfrentar o problema da segurança nos outros estados.

Sobre economia, Meirelles afirmou que o país começou a crescer, inflação caiu e o emprego já está sendo criado, mas reconhece que a maioria da população ainda não sentiu isso. Atribui o alto desemprego à crise e à incompetência dos governantes, "que criou a crise, por toda uma política econômica equivocada, decisões erradas, que foram tomadas em vários anos, principalmente a partir de 2011".

Mas o ministro enfatizou que a indústria volta a produzir após desovar os estoques acumulados, empregos estão sendo criados e que o Brasil está de volta aos trilhos e na direção certa.

A respeito de sua candidatura a presidente da República, repetiu que a decisão será tomada no início de abril. "No momento, tenho que concluir uma série de projetos em andamento e, dentro do prazo legal, vou tomar uma decisão."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos