PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Coluna

Carla Araújo


Governo identifica ação de hackers para zerar saldo em aplicativo da Caixa

Adriana Toffetti/A7 Press/Estadão Conteúdo
Imagem: Adriana Toffetti/A7 Press/Estadão Conteúdo
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Colunista do UOL

14/07/2020 18h55Atualizada em 14/07/2020 18h57

O governo identificou que uma "ação orquestrada" estava sendo elaborada para tentar desestabilizar o aplicativo Caixa Tem, que realiza os pagamentos do auxílio emergencial.

Uma dessas ações, segundo fontes do governo, teria mobilizado "robôs" para fazer disparo de mensagens de que o aplicativo estaria com problemas para a visualização de saldo.

Segundo o general Oliveira Freitas, Assessor Especial de Segurança da Informação do GSI (Gabinete de Segurança Institucional da Presidência), na véspera do pagamento dos auxílios, aumentam os registros de tentativa de fraudes no Centro de Tratamento e Resposta a Incidentes Cibernéticos de Governo (CTIR Gov).

"Nós divulgamos apenas dados genéricos para não estimular a prática. Mas sabemos que quando começou esse processo o número de ataques ao sistema aumentou muito. Quando se detecta indício de crime informa-se à Polícia Federal que toma as providências cabíveis", disse à coluna.

Procurada, a CAIXA informou que a consulta ao saldo "está funcionando normalmente no CAIXA Tem e não houve registro de intermitência na função do aplicativo". Segundo o banco, apenas nesta terça-feira (14), já foram atendidas mais de 10 milhões de solicitações de saldo.

O CTIR reconhece que "está ocorrendo um aumento de diversas atividades de criminosos cibernéticos no intuito de obter vantagens através da disseminação de aplicativos maliciosos".

Um dos golpes também bastante comum identificado pelas autoridades é a tentativa de enganar usuários por "malwares voltados para capturar informações das pessoas ou exigir o resgate de arquivos que foram criptografados".

Carla Araújo