PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Kassio fez contatos com ministros do STF para ganhar apoio

Exterior do prédio do STF, em Brasília - Ricardo Moraes
Exterior do prédio do STF, em Brasília Imagem: Ricardo Moraes
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

01/10/2020 21h01

O desembargador Kassio Nunes, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar o lugar do ministro Celso de Mello no STF (Supremo Tribunal Federal), atuou junto aos ministros do Corte para tentar diminuir qualquer resistência ao seu nome, buscar apoio e se apresentar aos futuros colegas.

As conversas aconteceram por telefone. Um dos ministros procurados pelo desembargador hoje foi Ricardo Lewandowski. Amanhã, Kassio Nunes já teria conseguido uma reunião com Marco Aurélio de Melo.

O ministro Gilmar Mendes, que nesta semana recebeu em sua residência Bolsonaro e Kassio, disse que hoje não conversou com o indicado. Gilmar nega que seja "padrinho" da indicação de Kassio. "Ainda que alguns possam desconfiar da minha inteligência, eu não seria burro o bastante para indicar um nome ao presidente", repetiu à coluna o ministro.

Na reunião na casa de Gilmar Mendes também estava o ministro Dias Toffoli.

Ainda desconhecido

Além de ter que se apresentar aos prováveis futuros colegas, o indicado de Bolsonaro também teve que se apresentar para alguns ministros próximos do presidente, que afirmaram que não o conheciam e nunca haviam tido contato com Kassio.

No Planalto há, inclusive, algumas resistências ao nome de Kassio. Alguns auxiliares do presidente apostavam que ainda haveria chance de Bolsonaro recuar da ideia.

Em sua transmissão ao vivo nas redes sociais nesta quinta-feira, o presidente avisou que está decidido e que o nome será publicado no Diário Oficial de amanhã.

Bolsonaro minimizou críticas e algumas polêmicas da carreira do desembargador e disse que qualquer indicado seu estaria "tomando tiro" (da imprensa).

Antes de ser oficializado como ministro, Kassio ainda precisa ser sabatinado e aprovado pelo Senado. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, também já teve conversas com o indicado. Ele também era um dos presentes no encontro desta semana na casa de Gilmar Mendes.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.