IPCA
0,42 Mar.2024
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Governo contabiliza até 300 votos na Câmara para aprovar autonomia do BC

Ministros Guedes, Ramos e presidente do BC terão encontro com Lira e líderes na residência oficial da Câmara - reprodução/redes sociais
Ministros Guedes, Ramos e presidente do BC terão encontro com Lira e líderes na residência oficial da Câmara Imagem: reprodução/redes sociais

Do UOL, em Brasília

09/02/2021 11h48

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido

O novo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), terá o seu primeiro teste nesta terça-feira (9), na votação do projeto que prevê a autonomia do Banco Central. Ontem (8), ele chegou a um acordo com líderes para que a matéria avance e pautou o tema para hoje.

No governo, também há bastante otimismo em relação à aprovação da matéria. Apesar de evitar um placar, há quem acredite que aprovação pode chegar à marca de 300 votos, mesmo patamar que levou Lira à presidência.

A autonomia do BC está entre as prioridades do governo, mas ainda falta aprovação do Orçamento, que precisa de sessão do Congresso. A matéria, que já foi aprovada pelo Senado no fim do ano passado, enfrenta uma resistência menor dos parlamentares do que as reformas administrativa e tributária, por exemplo.

Almoço-reunião

Para afinar os últimos detalhes da medida e alinhar o discurso com o governo, Lira almoçará com líderes e ministros hoje na residência oficial do presidente da Câmara.

Irão participar do almoço os ministros da Economia, Paulo Guedes; da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos; e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Guedes e Ramos participaram hoje de manhã de uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro e outros ministros no Palácio do Planalto. Além de alinhar ações de governo, há a tentativa de se chegar a uma solução em relação ao Bolsa Família ou o novo auxílio emergencial.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, também participou da reunião com ministros e presidente no Planalto.

O ainda ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, quer fazer algum anúncio para deixar como "legado" da sua passagem na pasta. Onyx assumirá a Secretaria-Geral da Presidência nos próximos dias.