PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Pazuello sela acordo com a Pfizer e fala em compra "o mais rápido possível"

Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

03/03/2021 18h29

O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, divulgou um vídeo nesta quarta-feira (3) em uma reunião com representantes da Pfizer e confirmou que o governo deve fechar o acordo de compras de vacinas da empresa "o mais rápido possível".

Segundo o ministro, o cronograma das negociações será divulgado em breve assim como um documento conjunto entre o governo e o Brasil com os detalhes do acordo.

"A proposta de cronograma está sendo apresentada para nós é uma boa proposta e, a partir de agora, a gente segue os trâmites de fazer esse contrato o mais rápido possível", disse Pazuello, que estava em uma vídeo conferência com representantes da empresa.

Pazuello disse ainda que a possibilidade de contratação da vacina da Pfizer se tornou uma realidade após a aprovação do projeto de lei no Senado e na Câmara.

O projeto citado por Pazuello refere-se à PL que facilita a aquisição de vacinas ao autorizar União, Estados e municípios a assumir a responsabilidade civil por eventuais eventos adversos decorrentes da imunização contra a covid-19 durante a emergência em saúde pública.

O imunizante da Pfizer é o único a ter registro para uso definitivo no Brasil autorizado pela Anvisa (Agência Nacional e Vigilância Sanitária), mas o governo não havia adquirido até então porque discordava de cláusula que isenta a farmacêutica de responsabilidade em caso de efeitos adversos.

A vacina da Pfizer tem eficácia global de 95% e sua segurança foi atestada pela Anvisa.

Reunião com prefeitos

Em reunião com membros da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) nesta quarta-feira, Pazuello afirmou que haverá estabilidade na entrega de vacinas contra a Covid-19 com a previsão da chegada de mais imunizantes até o fim do mês.

"A partir desta semana, já há uma estabilização da produção nacional, pelo Butantan e pela Fiocruz. Vamos ter entregas em quantidades muito boas. É o tempo de vacinar e chegar mais vacinas. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) está garantido", disse.

Para março, estão previstas as entregas de cerca de 4 milhões de doses da AstraZeneca/Oxford - será a primeira remessa de imunizantes produzidas no Brasil pela Fiocruz com IFA importado -, além de mais doses do Instituto Butantan.

Pazuello também repassou as negociações que estão em andamento para a compra de mais vacinas: "Já temos contratos alinhados para adquirir a vacina russa Sputnik V. O projeto de lei aprovado ontem pela Câmara facilitou as negociações com Pfizer e Janssen", disse mais cedo.