PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Pazuello recebe Onyx, e senador critica falta na CPI por suspeita de covid

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e o presidente Jair Bolsonaro - Evaristo Sá/AFP
O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e o presidente Jair Bolsonaro Imagem: Evaristo Sá/AFP
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

e Luciana Amaral, do UOL em Brasília

06/05/2021 17h39

Depois de alegar que não poderia comparecer presencialmente à CPI da Covid porque teria tido contato com coronéis infectados com o coronavírus, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello segue recebendo orientações do Palácio do Planalto e, inclusive, teve um encontro pessoal hoje com o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni.

O ministro foi escalado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como um dos principais articuladores para programar a estratégia de defesa do governo na CPI.

Conforme revelou o jornal O Estado de S. Paulo, Onyx esteve nesta manhã no Hotel de Trânsito onde Pazuello está hospedado, em Brasília.

O vice-presidente da CPI da Covid, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), criticou a revelação da visita recebida pelo ex-ministro e afirmou que a CPI pode requisitar o resultado de um eventual exame de covid-19 de Pazuello.

"É um negócio lamentável e triste. É muito triste um ex-ministro da Saúde, general do Exército brasileiro, se prestar a uma circunstância como essa", disse Randolfe.

Segundo o senador, a atitude de Pazuello de desrespeitar a quarentena e receber pessoas supostamente com o risco de estar novamente infectado seria, no mínimo, uma "infração a uma ordem sanitária" e, no máximo, uma "obstrução à investigação".

Randolfe, no entanto, disse que, até o momento, o depoimento de Pazuello continua marcado para o próximo dia 19, data reagendada após a alegação do general de que não poderia ter contatos físicos sob o risco de transmitir o coronavírus.

Conforme revelado pela coluna, um dos coronéis que teve contato com Pazuello e que testou positivo para covid é Élcio Franco, ex-secretario-executivo na gestão do ministro e atual assessor da Casa Civil.

Élcio Franco também é um dos escalados pelo Palácio do Planalto para ajudar a preparar Pazuello para seu depoimento na CPI.