PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Guedes prepara defesa para justificar patrimônio em offshore

29 set. 2021 - Ministro da Economia, Paulo Guedes, participa do painel "Brasil em Pleno Crescimento", do V Fórum Nacional do Comércio - Wilson Dias/Agência Brasil
29 set. 2021 - Ministro da Economia, Paulo Guedes, participa do painel 'Brasil em Pleno Crescimento', do V Fórum Nacional do Comércio Imagem: Wilson Dias/Agência Brasil
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

04/10/2021 22h33

O ministro da Economia, Paulo Guedes, passou boa parte da segunda-feira (4) costurando sua justificativa para responder ao fato de possuir investimentos em offshores no exterior. Guedes pretende fazer uma manifestação voluntária reafirmando que não há ilegalidade em conduzir a política econômica do país e manter dinheiro fora dele.

Segundo apurou a coluna, Guedes vai afirmar que não houve movimentação financeira enquanto ele é ministro da Economia e também que delegou a gestores a administração de seu patrimônio no exterior.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, determinou nesta segunda-feira (4) a instauração de uma apuração preliminar sobre as offshores ligadas ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Parlamentares também foram à Justiça pedir mais explicações do ministro.

PUBLICIDADE