PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

INSS vai pagar bônus de até R$ 5,1 mil a servidor para tentar reduzir fila

31.mar.2022 - Greve dos peritos médicos reduz os atendimentos nas agências do INSS de Porto Alegre (RS) - Evandro Leal/Enquadrar/Estadão Conteúdo
31.mar.2022 - Greve dos peritos médicos reduz os atendimentos nas agências do INSS de Porto Alegre (RS) Imagem: Evandro Leal/Enquadrar/Estadão Conteúdo
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

27/04/2022 12h12

O governo prepara para esta semana a regulamentação da Medida Provisória (MP) 1.113, que pretende agilizar a concessão de benefícios e abre caminho para pagamento de auxílios sem perícia, e estima que os pagamentos das gratificações para que servidores batam a meta de análise possa entrar em vigor já no dia 1º de maio.

As informações foram dadas nesta quarta-feira (27) pelo ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, e pelo presidente do INSS, Guilherme Gastaldello Pinheiro Serrano.

De acordo com o presidente do INSS, a medida prevê o pagamento de R$ 57,50 para cada processo analisado que exceder a meta inicial do servidor. Atualmente, em média, o servidor do INSS tem a meta de analisar cerca de 90 processos por mês.

Nas estimativas do órgão, o servidor tem potencial de dobrar o atendimento, ou seja, realizar mais 90 processos no mês, o que elevaria em R$ 5,1 mil a renda do funcionário. A média salarial do órgão hoje é de cerca de R$ 9,8 mil.

Não vai zerar a fila

O objetivo principal da medida, segundo o presidente do INSS, é auxiliar na redução da fila de processos do órgão, hoje em cerca de 1.6 milhão de pendências.

"Desde novembro de 2021 estamos conseguindo reduzir o estoque e a MP vem com a ideia de poder alavancar ainda mais", disse Serrano.

Apesar disso, o ministro do Trabalho, que antecedeu o presidente do INSS no cargo, afirmou que apenas a gratificação não resolve o problema de fila e que é preciso trabalhar em medidas estruturantes. "A capacitação do INSS é a salvação", disse.

Segundo Oliveira, o ministério comprou e irá oferecer aos servidores cursos de especialização e mestrado, por exemplo.

"Estamos fazendo políticas de capacitação que nunca foram feitas antes. Queremos elevar o nível de capacidade dos nossos servidores, mas esse é um projeto com resultados no médio e longo prazo", disse.

Além disso, segundo Oliveira, o INSS tem articulado junto a DataPrev a automação dos processos para que haja uma adequação para um melhor uso da mão de obra dos órgãos.

Pedido de concurso público

O ministro afirmou ainda que há uma expectativa de abertura de concurso público para ampliar o contingente do órgão, que hoje possui cerca de 20 mil servidores.

"Temos a possibilidade de conseguir ainda esse ano a abertura de um concurso público. Não será no número de vagas que a gente pediu, mas há a possibilidade e isso está no radar do Ministério da Economia", afirmou.

Segundo Oliveira, a pasta solicitou a criação de 7,5 mil vagas.

Procurado, o Ministério da Economia informou que "não comenta demandas relacionadas a processos seletivos encaminhadas pelos órgãos da Administração Pública Federal". A pasta disse ainda que "apenas autoriza o concurso ou a contratação temporária". "O agendamento e a realização do certame competem a cada órgão", disse.