PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Bolsonaro vai fazer apelo aos supermercados para baixarem os preços

Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

09/06/2022 13h29

O presidente Jair Bolsonaro (PL), que está nos Estados Unidos para a Cúpula das Américas, vai participar de forma virtual do Fórum da Cadeia Nacional de Abastecimento, promovido pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), na tarde desta quinta-feira. A expectativa é que ele discurse ao vivo no evento por volta das 15h.

Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, têm conversado com o setor nos últimos dias para tentar sensibilizar os donos de supermercados para conter a alta dos preços. O presidente deve fazer um apelo, principalmente, em relação aos itens da cesta básica.

Nesta semana, durante entrevista ao SBT, Bolsonaro afirmou que já tem feito esses pedidos para lideranças dos supermercados.

"Conversei com lideranças dos supermercados do Brasil e pedi para eles. Óleo de soja, está R$ 13 o litro, não tem cabimento isso daí... Tenho falado com o pessoal, vamos colaborar todos neste momento de crise, difícil, porque o Brasil pode tomar o rumo que ninguém quer, o rumo da Venezuela, o rumo que está tomando a Argentina", disse, no início da semana.

Mais cedo, na abertura do Fórum, o presidente da Abras, João Galassi, afirmou que a redução dos custos virá através da reforma tributária e pediu empenho das autoridades para tratar o tema. Com a presença de Guedes, Galassi lançou o "desafio": 'Nova tabela só em 2023'. A ideia é que os preços da indústria para o varejo e do varejo para o consumidor não sejam elevados até o próximo ano.

Apesar de a inflação ter desacelerado no mês passado, ela ainda acumula alta de 11,73% em 12 meses. Só os alimentos e bebidas subiram 13,51% desde maio de 2021. Considerando apenas os produtos da cesta básica, a disparada foi ainda maior, com altas que chegam a mais de 67%. Apenas um item — arroz — teve queda (-10,27%) no período.