Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Ibovespa: indicadores dos EUA e balanço das Americanas movimentam mercado

Esta é a versão online da newsletter Por Dentro da Bolsa enviada hoje (16). Quer receber antes o boletim e diretamente no seu e-mail? Clique aqui. Os assinantes UOL ainda podem receber dez newsletters exclusivas toda semana.

********

No Brasil, após o feriado, a bolsa deve retomar as suas negociações nesta quinta-feira (16) ainda em um tom positivo. Podemos usar como indicativo o desempenho do EWZ, um ETF de empresas brasileiras negociado no exterior, que apresentou alta de 0,66% ontem. A Americanas divulgou seu balanço financeiro de 2022, após diversos adiamentos. Sem dados econômicos relevantes no cenário local, o mercado deve acompanhar os números sobre o mercado de trabalho dos EUA. Na esfera política, o presidente Lula teria uma reunião com o ministro Fernando Haddad e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. O encontro, no entanto, não está mais na agenda de hoje do presidente.

Nos EUA, os futuros dos principais índices das bolsas americanas operam de forma mista. O mercado acionário americano apresentou no dia de ontem mais um pregão positivo. A queda de 0,5% do Índice de Preços ao Produtor (PPI) e de 0,1% nas Vendas no Varejo foram os responsáveis pela manutenção do movimento de alta das bolsas. Com esses indicadores mostrando um processo desinflação em curso e desaceleração da economia, parte do mercado ficou mais confiante sobre a tese de que o FED não terá necessidade promover novas altas dos juros nos EUA. Para o dia de hoje, as atenções do mercado devem se voltar para os dados do mercado de trabalho americano, com o número de Pedidos Iniciais por Seguro-Desemprego. Os investidores também devem acompanhar os dados sobre a atividade industrial nos EUA, além dos discursos de membros do FED ao longo do dia. Na esfera política, o destaque fica para o acordo obtido no Congresso para evitar uma paralisação do governo americano, além do encontro entre os presidentes dos EUA e China.

Na Europa, as bolsas operam de forma mista. O mercado busca repercutir a reunião entre os líderes das duas principais economias do mundo. Na agenda do dia, destaque para os discursos de membros do Banco Central Europeu (BCE), em especial a presidente Christine Lagarde, e do Banco Central da Inglaterra (BoE).

Na Ásia, as bolsas fecharam majoritariamente em queda. Em Tóquio, o Nikkei apresentou desvalorização de 0,28%. Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 1,36%, enquanto na Coreia do Sul, o Kospi apresentou valorização de 0,06%. Na China continental, o Shangai Composto fechou em queda de 0,71%, e o Shenzen Composto caiu 1,0%. O Preço Médio de Novas Moradias na China apresentou queda de 0,38% em outubro, um aumento em relação aos 0,30% do mês anterior. Na esfera política, aconteceu ontem o aguardado encontro entre Joe Biden, presidente dos EUA, e Xi Jinping, presidente da China. A conversa entre os líderes das principais economias do mundo serviu como tentativa de reduzir as tensões entre os dois países. Apesar das diferenças entre EUA e China, Xi Jinping reforçou que não é de interesse do país asiático cortar as relações com o país americano.

O petróleo opera em queda. A commodity segue o movimento de desvalorização de ontem, puxado pelo aumento do estoque de petróleo nos EUA. Em relação ao minério de ferro, a commodity apresentou queda em Dalian. A desvalorização ocorreu em meio aos dados fracos do setor imobiliário.

O Conselho de Administração da Cosan aprovou alterações na diretoria executiva da companhia. Luis Henrique Guimarães deixará a presidência da companhia, passando a se dedicar exclusivamente aos Conselhos das companhias Cosan, Moove, Compass e Vale. Nelson Gomes, atual presidente da Compass, assumirá a presidência da Cosan, permanecendo no Conselho da Compass, e será indicado nos próximos meses para os Conselhos da Raízen, Moove e Rumo. Ricardo Lewin deixará o cargo de vice-presidente financeiro e de relações com investidores e passará a se dedicar à vice-presidência de portfólio e desenvolvimento de negócios. Por fim, Rodrigo Araujo, atual diretor de estratégia, passará a ocupar o cargo de vice-presidente financeiro e de relações com investidores.

A Natura &Co informou que assinou um acordo vinculante com a Aurelius Investment Advisory Limited para a venda da The Body Shop. A transação considerou o enterprise value de GBP 207 milhões, incluindo um potencial valor contingente (earn-out) de GBP 90 milhões. O preço de venda e o earn-out serão pagos em até cinco anos. A conclusão da transação está prevista para ocorrer até 31 de dezembro de 2023 e está sujeita às aprovações regulatórias. A companhia ainda reforçou que a venda apoiará os esforços da Natura &Co para otimizar suas operações e simplificar seus negócios, além de posicioná-la para focar em prioridades estratégicas, especialmente a integração da Natura e Avon na América Latina, o modelo de venda direta e a otimização adicional da presença internacional da Avon.

Continua após a publicidade

O Conselho de Administração da Copel aprovou a convocação de uma AGE no dia 18 de dezembro. O intuito é deliberar sobre o desfazimento do Programa de Units da companhia. Caso seja aprovado, a Unit CPLE11 será desmembrada em 1 ação ordinária (CPLE3) e 4 ações preferenciais classe "B" (CPLE6). A companhia justificou que, com a recente transformação da companhia em sociedade de capital disperso sem controlador definido, houve incremento substancial na liquidez das ações ordinárias, de modo que o Programa de Units deixou de cumprir as finalidades pelas quais foi instituído.

************

Veja o fechamento de dólar, euro e Bolsa na terça-feira (14):

Dólar: -0,933%, a R$ 4,8615
Euro: + 0,723%, a R$ 5,29
B3 (Ibovespa): 2,29%, aos 123.165,76 pontos

NA NEWSLETTER UOL INVESTIMENTOS

Lua, filha da influencer e ex-BBB Viih Tube, tem apenas seis meses, mas já acumulou mais de R$ 1 milhão em uma conta em seu nome, segundo a mãe. Chegar a esse patamar tão cedo não é a realidade da maioria, mas especialistas afirmam que há muitas vantagens em se investir em nome dos filhos. Na newsletter UOL Investimentos você fica sabendo em quais produtos é possível fazer isso. Para se cadastrar e receber a newsletter semanal, clique aqui.

Continua após a publicidade

Queremos ouvir você

Tem alguma dúvida ou sugestão sobre investimentos? Mande sua pergunta para uoleconomiafinancas@uol.com.br.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

As opiniões emitidas neste texto são de responsabilidade exclusiva da equipe de Research do PagBank e elaboradas por analistas certificados. O PagBank PagSeguro e a Redação do UOL não têm nenhuma responsabilidade por tais opiniões. A única intenção é fornecer informações sobre o mercado e produtos financeiros, baseadas em dados de conhecimento público, conforme fontes devidamente indicadas, de modo que não representam nenhum compromisso e/ou recomendação de negócios por parte do UOL. As informações fornecidas por terceiros e/ou profissionais convidados não expressam a opinião do UOL, nem de quaisquer empresas de seu grupo, não se responsabilizando o UOL pela sua veracidade ou exatidão. Os produtos de investimentos mencionados neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão preencher o questionário de suitability para a identificação do seu perfil de investidor e da compatibilidade do produto de investimento escolhido. As informações aqui veiculadas não devem ser consideradas como a única fonte para o processo decisório do investidor, sendo recomendável que este busque orientação independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e podem impactar os portfolios de investimento, causando perdas aos investidores. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados futuros. Este conteúdo não deve ser reproduzido no todo ou em parte, redistribuído ou transmitido para qualquer outra pessoa sem o consentimento prévio do UOL.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes