Só para assinantesAssine UOL

Filha de ViihTube já tem R$ 1 mi aos 6 meses: como investir para os filhos?

Quer receber matérias como essa toda semana no seu e-mail? Assine a newsletter UOL Investimentos.

Vitória di Felice Moraes, mais conhecida como Viih Tube, diz que sua filha Lua, de apenas seis meses, já acumulou mais de R$ 1 milhão em uma conta no seu nome. A influenciadora não disse onde o dinheiro, recebido por publicidades em que a bebê participou, está investido.

Claro que essa não é a realidade da maioria. Mesmo assim, especialistas afirmam que há muitas vantagens em investir no nome dos filhos. Mas abrir uma conta em nome dos pequenos não é assim tão simples - e menores são impedidos de aplicar o dinheiro em alguns investimentos mais arriscados. Em que produtos é possível investir em nome dos filhos, e como fazer?

Quais as vantagens de investir em nome dos filhos?

Maior benefício é começar educação financeira desde cedo. Gilvan Bueno, sócio e gerente educacional da Órama, diz que o processo ajuda a explicar para as crianças, aos poucos, como funcionam as finanças pessoais.

Acelera a sucessão patrimonial. A conta será exclusivamente do beneficiário. Por isso, esse valor não entra em uma partilha de bens, tanto em caso de divórcio quanto de herança, diz Bueno. Isso porque, dependendo do regime do casamento dos pais, como separação total ou parcial de bens, o patrimônio investido para os filhos pode ser afetado com essa partilha.

É importante definir quem é o responsável pelo acesso à conta do menor. Somente essa pessoa pode movimentar a conta, diz Anderson Diorge Schug, especialista em investimentos da cooperativa de crédito Ailos.

Dá para abrir conta em nome dos pequenos?

Menores podem ter conta em banco. A Febraban afirma que é possível abrir contas de depósitos, ou seja, tanto conta corrente quanto poupança, para a criança ou adolescente. Mas é necessário a apresentação e identificação de um representante legal, como pai, mãe, responsável ou tutor, para a abertura de conta. O responsável também deve ter acesso às movimentações desses menores, e serem informados de qualquer gasto ou saque.

Continua após a publicidade

Já no caso de corretoras de investimentos, diversas corretoras permitem isso. Para abrir uma conta corrente em nome das crianças, um dos pais ou ambos podem fazê-lo, sendo que um dos dois se torna responsável legal pela conta. Mas não é necessário ter conta em banco para investir a partir de uma corretora. É o que diz Thiago Godoy, educador financeiro da Rico. Os responsáveis podem transferir o dinheiro de suas contas bancárias para a conta do menor na corretora. Se os responsáveis legais não forem os pais da criança, é importante que eles comprovem a tutela.

Pais estarão vinculados à conta do menor de idade. Dá para começar a investir sem idade mínima, mas a abertura da conta e até as decisões de investimentos serão de responsabilidade dos pais ou tutores. Também são eles que precisam responder o questionário sobre o perfil de investidor (conservador, moderado ou agressivo).

Documentações exigidas vão depender muito da corretora. Então, pode ser que peça certidão de nascimento, CPF e RG do menor e do responsável e comprovante de residência. Isso impede que alguém abra a conta em nome de um menor que ainda não tirou o RG, por exemplo. Já outras corretoras vão demandar apenas CPF, por exemplo, que já é informado na certidão de nascimento desde 2015.

O Tesouro liberou uma nova forma de fazer cadastro para investir, o Cad&Pag. Ela é integrada ao sistema Gov.br. E, para abrir um cadastro de investidor no Tesouro Direto para um menor de idade por essa ferramenta, o responsável precisa ter nível prata ou ouro no sistema do governo. Além disso, o menor precisa ter emitido o RG.

E onde investir?

Há diversas opções para investir em nome dos filhos. A poupança, a renda fixa (CDBs e Tesouro Direto), previdência e até mesmo a renda variável são alternativas em contas de investimentos de menores de idade.

Continua após a publicidade

Mas há algumas exceções. Na renda variável, não é permitido operar minicontratos, swap cambial e mercado futuro antes de completar 18 anos.

Especialista recomenda ter previdência privada desde cedo. Schug, do Ailos, diz que, como há uma tendência de aposentadoria cada vez mais tardia, isso pode beneficiar o filho no futuro. "Quanto mais jovem a criança, mais robusta será sua aposentadoria no futuro", afirma. Além disso, é um investimento acessível, e alguns fundos têm investimento mínimo de apenas R$ 30.

Tesouro Educa+ é investimento para educação dos filhos. Essa modalidade do Tesouro Direto foi lançada em agosto pela Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda. É voltada para custear os estudos, já que paga uma renda mensal por cinco anos a partir da data de vencimento. Esse investimento ainda permite que outras pessoas, como tios, avós, padrinhos ou amigos, transfiram dinheiro para o investimento na conta dos menores.

É possível abrir uma conta em nome do menor de idade dentro do Tesouro Direto por meio do cadastro rápido, o chamado Cad&Pag. OCad&Pag integra os sistemas do Tesouro Direto, do Gov.br e das instituições financeiras em um processo unificado. Conforme definição do Tesourou Nacional, o Cad &Pag é "fusão de um cadastro simplificado com um o novo método de pagamento via PIX, é a nova forma de começar a investir no Tesouro Direto."

Mas criança precisa ter RG e CPF. Para a abertura de conta em nome dos filhos, é preciso ir na página inicial do Tesouro Direto, clicar em "Abra sua conta" e depois em "Para o menor de idade". É preciso ter conta no site gov.br, e o menor de idade precisa ter RG e CPF.

Começar cedo proporciona à criança uma oportunidade muitas vezes única de viver experiências no futuro, como estudar em uma boa faculdade, comprar o primeiro carro ou potencializar mais ainda seus investimentos na maioridade, quando, então, passa a administrar esse recurso por conta própria.
Anderson Diorge Schug, especialista em Investimentos do Ailos

Continua após a publicidade

Quer saber como economizar e investir, além do que está acontecendo na economia? Conheça e siga o novo canal do UOL "Economize e Invista" no WhatsApp.

Aulão: De endividado a investidor: como sair das dívidas e ter mais dinheiro

Dívidas são um dos principais obstáculos para quem quer organizar sua vida financeira. Pensando nisso, o UOL preparou um aulão para quem quer se livrar das dívidas para sempre e ter mais dinheiro para investir e realizar seus sonhos.

Qual a melhor estratégia para se livrar das dívidas? Dá para começar a investir mesmo endividado? E qual é o melhor investimento para iniciantes? Todas essas perguntas serão respondidas em uma série de três lives.

A primeira live sobre o tema já saiu. Veja aqui o passo a passo para se livrar das dívidas. A segunda live, que mostra onde e como começar a investir mesmo estando endividado, pode ser assistida aqui.

Assista ao aulão no Papo com Especialista, programa ao vivo do UOL, todas as quintas-feiras, das 16h às 16h40. Assine aqui e participe!

Continua após a publicidade

A última série do Papo com Especialista foi sobre Como investir para se aposentar sem depender do INSS. Para saber mais, acesse este link .

Quer investir melhor? Receba dicas no seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido? O UOL tem uma newsletter diária gratuita que o ajuda nesse objetivo. Assine o Por Dentro da Bolsa aqui. Você recebe todos os dias, antes da abertura da Bolsa, uma análise do mercado feita pela equipe do PagBank Investimentos para aprender a investir melhor.

Você também recebe, semanalmente, uma análise sobre investimentos, com dicas sobre como aplicar melhor o seu dinheiro. Para assinar a newsletter gratuita de investimentos do UOL, é só clicar aqui. UOL Investimentos ainda tem diversos conteúdos diários que te ajudam a lidar melhor com seu dinheiro.

Tem dúvidas sobre ações, fundos e outros investimentos da Bolsa? Envie sua pergunta para uoleconomiafinancas@uol.com.br.

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes