Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Ibovespa: Inflação no Brasil e nos EUA são os destaques da semana

Esta é a versão online da newsletter Por Dentro da Bolsa enviada hoje (08). Quer receber antes o boletim e diretamente no seu email? Clique aqui. Os assinantes UOL ainda podem receber dez newsletters exclusivas toda semana.

********

No Brasil, investidores acompanham dados vindos do mercado externo. O destaque da semana é o IPCA de dezembro, que será apresentado na quinta-feira (11). Na agenda de indicadores, ainda serão divulgadas as primeiras prévias de janeiro do IPC-S, hoje, às 8h, e do IPC-Fipe (quarta-feira). Hoje também sai o Boletim Focus. Na parte política, com o Congresso ainda em recesso, há pouca movimentação.

Nos EUA, os futuros das bolsas americanas operam em baixa. Investidores aguardam mais indícios sobre os próximos Fed quanto à sua política monetária. Nesta semana, o principal indicador econômico a ser divulgado são os preços ao consumidor, na quinta-feira, que deve mostrar se os esforços do Fed para reduzir a inflação estão se concretizando. Além do CPI, sai a inflação ao produtor dos EUA (PPI) na sexta-feira (12). O que também entra no radar são os resultados corporativos, que também começam na sexta-feira com os resultados do Wells Fargo, BofA (Bank of America), Citi e JPMorgan.

Na Europa, as bolsas operam em baixa. O movimento reflete o sentimento negativo da primeira semana de 2024 e as perdas lideradas por petrolíferas. Investidores monitoram dados econômicos locais e aguardam, mais adiante, nova leitura da inflação ao consumidor dos EUA. O setor petrolífero e de gás teve a maior queda, à medida que as cotações do petróleo caíam em torno de 1% após a Arábia Saudita anunciar cortes nos preços da commodity. De indicador, foram divulgadas as encomendas à indústria alemã. O dado decepcionou, com um avanço menor do que o esperado. Outro indicador que saiu e também decepcionou foi o número do varejo da zona do euro, que mostrou queda de 0,30% em novembro, ficando pior do que o esperado pelo mercado, que aguardava por uma baixa de 0,1%. O sentimento econômico da zona do euro subiu para 95,6 em dezembro, superando as expectativas de 94,4 pontos.

Na Ásia, as bolsas fecharam em baixa. Em Tóquio, a bolsa não operou hoje devido a um feriado no Japão. Na agenda econômica, na China teremos a divulgação na quinta-feira dos dados de inflação ao consumidor (CPI) e do produtor (PPI). Na semana passada, o Zhongzhi Enterprise Group, que fornecia empréstimos ao setor imobiliário chinês, teve pedido de falência e liquidação aceito por um tribunal de Pequim. Além disso, um grande executivo da subsidiária de veículos elétricos da problemática incorporadora China Evergrande foi preso sob suspeita de crimes não especificados. Na China continental, o índice Xangai Composto teve queda de 1,42%, e o Shenzhen Composto recuou 1,88%. Em outras partes da Ásia, o Hang Seng caiu 1,88% em Hong Kong, com tombo de 6% da China Evergrande New Energy Vehicle, e o sul-coreano Kospi cedeu 0,40% em Seul, mas o Taiex contrariou o viés negativo da região e subiu 0,31% em Taiwan.

No mercado de commodities, o preço do barril de petróleo opera em baixa. O barril do petróleo tipo Brent está próximo dos US$ 78, depois que a Arábia Saudita reduziu os preços para mínimos de 27 meses e a Opep aumentou a produção, compensando o risco de interrupções no fornecimento no Mar Vermelho. As cotações do minério de ferro na China fecharam em baixa pela terceira sessão consecutiva nesta segunda-feira, com alguns investidores liberando posições compradas para registrar lucros em meio à contração da demanda e das margens do aço.

A Gol informou que, em dezembro, a oferta total (ASK) caiu 8,1% e a demanda para voos (RPK) recuou 2,5% na comparação anual. A taxa de ocupação no mês cresceu 4,8 pontos, para 77,9%.

A venda da Refinaria Landulpho Alves (Rlam), atual Refinaria de Mataripe, na Bahia, está sob avaliação da Petrobras, em diálogo com os órgãos de controle. Segundo Jean Paul Prates, presidente da companhia, já há procedimento administrativo instaurado para avaliação desse negócio específico, sob apreciação das áreas de integridade pertinentes da companhia.

Continua após a publicidade

O Banco Pine alterou o valor por ação dos juros sobre o capital próprio anunciados em 22 de dezembro de 2023. O banco informou que os valores atribuídos por ação relacionados aos juros sobre capital próprio foram ajustados de R$ 0,2333095229 para R$ 0,2080963062 por cada ação ordinária e cada ação preferencial. O pagamento ocorrerá em 15 de janeiro e considerará a posição acionária do dia 08 de janeiro. A partir de 09 de janeiro, as ações serão negociadas "ex" direitos a juros sobre capital próprio.

************

Veja o fechamento de dólar, euro e Bolsa na sexta-feira (5):

Dólar: -0,73%, a R$ 4,8712
Euro: -0,74%, a R$ 5,331
B3 (Ibovespa): 0,61%, aos 132.022,92 pontos

NA NEWSLETTER UOL INVESTIMENTOS

Não é preciso ter muito dinheiro para começar a investir. É possível aplicar em CBDs, RDBs, fundos e até em ações. Veja onde vale a pena colocar seu dinheiro e quanto pode render em um ano. Para se cadastrar e receber a newsletter semanal, clique aqui.

Continua após a publicidade

Queremos ouvir você

Tem alguma dúvida ou sugestão sobre investimentos? Mande sua pergunta para uoleconomiafinancas@uol.com.br.

Outras Notícias

Como organizar seu dinheiro para cumprir as metas de Ano-Novo. Leia mais

Revisão do FGTS pode aumentar rendimento, mas deixar casa própria mais cara. Leia mais

BB, BB Seguridade e Vivo: veja ações para ter renda passiva em 2024. Leia mais

Continua após a publicidade

IPOs vão voltar em 2024, depois de dois anos, com alta na Bolsa? Leia mais

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

As opiniões emitidas neste texto são de responsabilidade exclusiva da equipe de Research do PagBank e elaboradas por analistas certificados. O PagBank PagSeguro e a Redação do UOL não têm nenhuma responsabilidade por tais opiniões. A única intenção é fornecer informações sobre o mercado e produtos financeiros, baseadas em dados de conhecimento público, conforme fontes devidamente indicadas, de modo que não representam nenhum compromisso e/ou recomendação de negócios por parte do UOL. As informações fornecidas por terceiros e/ou profissionais convidados não expressam a opinião do UOL, nem de quaisquer empresas de seu grupo, não se responsabilizando o UOL pela sua veracidade ou exatidão. Os produtos de investimentos mencionados neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão preencher o questionário de suitability para a identificação do seu perfil de investidor e da compatibilidade do produto de investimento escolhido. As informações aqui veiculadas não devem ser consideradas como a única fonte para o processo decisório do investidor, sendo recomendável que este busque orientação independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e podem impactar os portfolios de investimento, causando perdas aos investidores. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados futuros. Este conteúdo não deve ser reproduzido no todo ou em parte, redistribuído ou transmitido para qualquer outra pessoa sem o consentimento prévio do UOL.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes