PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Empregos e carreiras

Tem problemas para manter o foco? Veja técnicas para treinar a concentração

Do Na Prática*

07/12/2020 04h00

Algumas atividades podem ser feitas no "modo automático", mas muitas outras, principalmente ligadas a estudo e trabalho, precisam de concentração. Se parece que está cada vez mais difícil se concentrar, com toda a disponibilidade de distração que o mundo moderno traz, é porque esta mesmo.

Uma pesquisa recente mostrou que no ano 2000 as pessoas se concentravam completamente por 12 segundos. Em 2015, esse tempo caiu para 8,25 segundos. Para comparação, o estudo constata que um peixe dourado se concentra por cerca de 9 segundos.

Não ajuda o fato de que, com mais acontecimentos demandando atenção ao mesmo tempo, é fácil cair na tentação do multitasking (realizar várias tarefas ao mesmo tempo). O aumento de produtividade que o multitasking traz é apenas aparente. Na realidade, as pessoas têm pouco poder de dividir a atenção, segundo o médico e pesquisador da área, Marcelo Demarzo.

Trabalhando no modo multitask, o que acontece é a "mudança rápida do foco de atenção", diz ele. Para a eficiência, isso é ruim: "a mente tem um tempo de latência para estarmos completamente imersos em uma atividade. Quando é interrompido, demoramos até 10 vezes mais para focar novamente", diz Marcelo. O multitasking, além disso, provoca mais cansaço, o que também pode afetar a produtividade.

Como mindfulness pode ajudar

Marcelo é especialista na prática mindfulness (atenção plena), coordenador do curso de especialização no tema da Unifesp e fundador do Centro Brasileiro de Mindfulness e Promoção da Saúde. Ele defende que a prática de atenção plena, que tem resultados comprovados em desempenho e bem-estar, pode aumentar a facilidade com que se concentra.

Os exercícios de mindfulness "treinam a consciência para, quando estivermos desatentos, percebermos e conseguirmos redirecionar a atenção", afirma o médico. A frequência do treino de atenção plena, que são tipos de meditação, provoca a neuroplasticidade —adaptação do cérebro— e faz com que voltar ao foco se torne uma habilidade.

De acordo com o especialista, quando se trata de diminuir a tendência pessoal à divagação, a prática do mindfulness pode provocar uma melhora.

No entanto, Marcelo reitera que a capacidade de redirecionamento da atenção, que é estimulada ao treinar a concentração, é o mais importante. Isso porque as distrações sempre vão depender de várias circunstâncias, algumas delas externas —como o ambiente em que se está.

Exercícios para treinar a concentração

As formas mais simples de praticar a atenção plena de mindfulness são baseadas em criar um ponto de atenção —chamado de âncora. Para treinar a concentração, os exercícios devem ser feitos com regularidade, em ambientes silenciosos e posições confortáveis. Quando as distrações tiram o foco durante uma atividade, eles também podem ser feitos para reajustar a atenção.

3 minutos (ou 3 passos) de mindfulness

1. De olhos fechados, levar a atenção para o corpo —pode ser para as sensações físicas ou até pensamentos e sentimentos.

2. Em seguida, se concentrar em movimentos ou sensações da respiração.

3. E, o terceiro passo, voltar a atenção para o corpo, incluindo as percepções do local.

Mindfulness da respiração

Também consiste em levar a atenção para o corpo —que serve como a âncora. Mas, nesse caso, deixe que a mente divague naturalmente. Então, ao perceber a distração, leve-a de volta para o corpo. O ideal é fazer isso quantas vezes forem necessárias durante o tempo em que se pratica o exercício.

*O texto "Está tendo problemas para manter o foco? 2 técnicas de mindfulness para treinar a concentração" foi originalmente publicado no portal Na Prática, da Fundação Estudar.

Empregos e carreiras