PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Aprovada por acionistas, nova oferta de ações da dona da Sadia é incerta

Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

20/01/2022 09h16

Hoje comentaremos a aprovação da nova oferta de ações da BRF, e falaremos sobre a compra da Lote45, empresa de software de gestão de risco para fundos de investimento, pela Sinqia.

Confira a seguir o comentário de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento, sobre essas movimentações. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e avaliações de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimento. Este conteúdo é acessível para os assinantes do UOL. O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Acionistas da BRF aprovam venda de ações

Dona das marcas Sadia e Perdigão, a BRF (BRFS3) anunciou que o follow-on (processo em que a empresa oferta mais ações ao mercado) pretendido pela companhia foi aprovado por seus acionistas.

A oferta secundária consiste na emissão de até 325 milhões de ações, podendo levantar entre R$ 7 e R$ 8 bilhões. A aprovação dos acionistas na assembleia foi de 80%. Votando contra o aumento de capital está o fundo Petros (fundo de pensão dos funcionários da Petrobras), que possui 7,01% da BRF.

Marcelo Trindade, representante do fundo e ex-presidente da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), anexou ao voto seu parecer argumentando que o follow-on não se enquadra nas exceções de poison pill, mecanismo de proteção da companhia a seus acionistas minoritários que obriga que o comprador realize uma oferta de compra a todos os acionistas após atingir certa participação na empresa. No caso, a marca de 33,33% pela Marfrig (MRFG3), que detém atualmente 33,2% da BRF.

Com a contestação de Trindade, o aumento de capital fica incerto. Pelo tamanho da oferta, cerca de R$ 7,6 bilhões, considerando o fechamento de ontem, esperava-se que a Marfrig seria a principal compradora.

Contudo, caso a Marfrig não queira arriscar entrar na briga, havendo a possibilidade de realizar uma OPA (processo pelo qual uma empresa passa quando quer parar de negociar suas ações na Bolsa de Valores), o que custaria cerca de R$ 5 bilhões, o máximo de ações que a empresa pode comprar no follow-on sem aumentar sua participação é 33%, ou R$ 2,5 bilhões. Dessa forma, ainda restariam mais de R$ 5 bilhões que devem ser alocados pelo mercado.

Após o anúncio do follow-on, as ações da BRF reagiram positivamente, apesar da alta diluição dos acionistas atuais. Agora, com a incerteza em relação à oferta, os acionistas ficam mais preocupados.

Sinqia compra 52% da Lote45 por R$ 79,5 milhões

Provedora de tecnologia para o sistema financeiro, a Sinqia (SQIA3) anunciou a aquisição de 52% da Lote45, empresa especializada em software de gestão de risco para fundos de investimentos, por R$ 79,5 milhões, mais uma parcela futura vinculada à receita de 2022.

A Lote45 possui aproximadamente cem clientes, entre gestores de recursos e Family Offices. Ademais, a Sinqia poderá ainda adquirir os 48% restantes mediante o exercício de uma opção de compra acordada e que está condicionada à receita e a margem Ebitda (indicador que mostra a margem de lucro da companhia sem considerar custos como juros, impostos, depreciação e amortização) da LOTE45 no exercício de 2026.

Vemos a notícia como positiva para a Sinqia, porém com um impacto potencial limitado em comparação à última aquisição, a NewCon. Além disso, observamos com bons olhos a iniciativa da companhia em "expandir o leque" para novos nichos do sistema financeiro.

Por fim, vemos a queda recente nas ações da Sinqia mais bem explicada por fatores macroeconômicos locais e por uma questão de fluxo e tática dos players do mercado (empresas que atuam de forma relevante no mercado).

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo estrategista-chefe e sócio-fundador Rafael Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.