Só para assinantesAssine UOL

Itaúsa (ITSA4), Americanas (AMER3) e CCR (CCRO3) agitam o mercado nesta sexta-feira (1); veja mais destaques

O anúncio da  6ª emissão de debêntures da Itaúsa (ITSA4), não conversíveis em ações, em série única, no montante de R$ 1,25 bilhão, é um dos destaques desta sexta-feira (01). 

Também está entre os destaques do mercado financeiro a Americanas (AMER3), após concluir parceria com a Vibra (VBBR3).

O CCR (CCRO3) também é destaque hoje, depois de anunciar o recebimento de R$ 682 milhões por conta da ocorrência de desequilíbrio econômico-financeiro referente ao contrato de concessão em linha do metrô de São Paulo. 

Veja os destaques do mercado financeiro hoje:

Itaúsa

A Itaúsa (ITSA4) aprovou a 6ª emissão de debêntures, não conversíveis em ações, em série única, no montante de R$ 1,25 bilhão, cujos recursos serão integralmente utilizados para realizar o pagamento do resgate antecipado facultativo da totalidade das debêntures da 1ª série da 4ª emissão de debêntures da Itaúsa, com desembolso total de aproximadamente R$ 1,3 bilhão, incluindo remuneração e prêmio.

A 6ª emissão de debêntures possui prazo de vencimento final de 8 anos, com amortizações em 2029, 2030 e 2031, e remuneração de CDI+1,37% ao ano. 

Americanas

A Americanas (AMER3) afirmou que foi concluído o encerramento da parceria relacionada à exploração do negócio de lojas de pequeno varejo desenvolvida através da sociedade Vem Conveniência entre a Americanas e a Vibra Energia (VBBR3). 

Continua após a publicidade

Com a conclusão do encerramento, a Americanas passou a ser titular da integralidade das ações de emissão da Vem. 

CCR

A CCR (CCRO3) informou que foi publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo - DOESP, o reconhecimento da ocorrência de desequilíbrio econômico-financeiro referente ao contrato de concessão firmado por sua controlada direta ViaQuatro, devido à perda de receita tarifária resultante da redução de demanda de passageiros na Linha 4 - Amarela decorrente da pandemia da Covid-19.

O valor bruto do desequilíbrio corresponde a R$ 682.606.724,08, em valores de fevereiro de 2023, a ser reequilibrado em favor da ViaQuatro.

Braskem 

A Braskem (BRKM5) comunicou por meio de fato relevante que foi intimada, em deferimento de tutela de urgência em ação civil pública, sobre potencial colapso em uma mina da companhia localizada em Maceió (AL).

Continua após a publicidade

O valor atribuído à causa pelos autores da ação é de R$ 1 bilhão, segundo a petroquímica.

Ferbasa 

A Ferbasa (FESA4) pagará um valor de R$ 41,5 milhões em Juros Sobre Capital Próprio (JCP) aos seus acionistas, conforme documento arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). 

O valor dos proventos por ação da Ferbasa será de R$ 0,50 por ação preferencial e de R$ 0,45 por ação ordinária, a serem pagos no dia 22 de dezembro.

PetroReconcavo 

A PetroReconcavo (RECV3) pagará R$ 160 milhões em JCP aos seus acionistas, segundo comunicado divulgado na CVM.

Continua após a publicidade

De acordo com a companhia, o valor por ação dos JCP da PetroRecôncavo será de R$ 0,54. O pagamento será realizado no dia 15 de dezembro.

Totvs 

A empresa de software Totvs (TOTS3) anunciou hoje a assinatura de um contrato para adquirir a Ahgora, uma empresa de recursos humanos e tecnologia, por R$ 380 milhões.

A Ahgora oferece serviços como registro de ponto eletrônico por reconhecimento facial validado por inteligência artificial, gestão de escalas, controle de frequência e jornadas, de acordo com o comunicado.

CSN 

A CSN Resources, controlada da CSN (CSNA3), captou US$ 500 milhões mediante a realização de uma oferta de títulos representativos de dívida denominados Notes, com vencimento em 2030 e juros de 8,875% ao ano.

Continua após a publicidade

Os destaques do mercado financeiro do Suno Notícias mostram os principais acontecimentos que prometem movimentar o mercado durante o dia, como a Itaúsa (ITSA4), que deve estar no foco dos investidores ao longo do dia.

Este material foi elaborado exclusivamente pelo Suno Notícias (sem nenhuma participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo nenhum tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco. Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora