Só para assinantesAssine UOL

Braskem (BRKM5): conclusão de fechamento definitivo de cavidades está previsto para 2025

A Braskem (BRKM5) informou na manhã desta segunda-feira (4) que as atividades de extração de sal-gema da petroquímica em Maceió (AL) foram encerradas em maio de 2019 e que, desde então, vem adotando medidas para o fechamento definitivo dos poços de sal, que está previsto para meados de 2025.

O plano de fechamento definitivo de 35 cavidades da mina da Braskem já atingiu 70% de avanço, segundo a companhia. Destas, 9 receberam recomendação de preenchimento com areia, com 5 já tendo preenchimento concluído, 3 em trabalhos de preenchimento em andamento, e 1 pressurizada, indicando que não é mais necessário realizar o preenchimento.

Outras 5 cavidades da mina de sal-gema da Braskem tiveram confirmado o status de autopreenchimento, enquanto as 21 cavidades restantes estão sendo tamponadas e/ou monitoradas, sendo que em 7 delas o trabalho foi concluído.

"Adicionalmente, no contexto do monitoramento preventivo do solo que vem sendo realizado desde 2019, foram registrados recentemente microssismos e movimentações de solo atípicas concentrados no local da Cavidade 18, tendo a Braskem paralisado preventivamente suas atividades de preenchimento de poços na área, assim como as atividades preparatórias para o início do preenchimento da Cavidade 18", afirmou a companhia, em comunicado ao mercado.

A Braskem disse, ainda, que o processo de desocupação preventiva da área da mina em Maceió se iniciou em dezembro de 2019 e que a área de risco do mapa definida pela Defesa Civil da cidade está integralmente desocupada. A área de resguardo no bairro do Mutange, onde fica a Cavidade 18, já estava desocupada, sem nenhuma pessoa residindo nessa área, desde abril de 2020.

"Os dados atuais de monitoramento demonstram que a condição de movimentação do solo segue concentrada na área da Cavidade 18. Todos os dados estão sendo compartilhados em tempo real com as autoridades, com quem a Companhia vem trabalhando em colaboração, prestando todas as informações", afirma a Braskem.

BRK Ambiental atualiza situação sobre unidade de produção em Maceió

BRK Ambiental anunciou nesta segunda-feira (4) que acompanha a situação referente ao afundamento do solo no bairro do Mutange, em Maceió (AL).

Em comunicado, a empresa afirmou, de acordo com estudos técnicos preliminares e monitoramento diário realizado pela Defesa Civil de Maceió, que a unidade de produção de água localizada na região de Bebedouro, da qual a companhia é consumidora, não deverá sofrer impacto material relevante no caso de uma movimentação mais acentuada do solo.

Continua após a publicidade

"A companhia possui um plano de contingência a ser prontamente implementado em caso de agravamento da situação", completa a BRK Ambiental.

A Defesa Civil de Maceió divulgou que houve um afundamento de 13 centímetros no solo da região impactada pela atividade mineradora da Braskem, localizada no bairro Mutange, entre a sexta-feira (1) e o sábado (2). A mina da Braskem número 18 está se deslocando a uma taxa de 0,7 centímetros por hora.

Apesar de uma desaceleração de cerca de 0,3 centímetros por hora na erosão, em comparação com o relatório de sexta-feira, a situação da mina de sal-gema da Braskem permanece crítica. Na madrugada de sábado, um novo tremor, com magnitude de 0,89 e ocorrendo a aproximadamente 300 metros de profundidade, foi registrado na área.

Desde 2019, mais de 14 mil imóveis foram desocupados na região, segundo dados da prefeitura de Maceió. A estimativa é de cerca de 60 mil pessoas tenha sido afetadas pelo risco de afundamento do solo de mina da Braskem.

Braskem (BRKM5) recebe intimação pelo colapso em Maceió

Na última quinta-feira (30), a Braskem (BRKM5) comunicou por meio de fato relevante que foi intimada, em deferimento de tutela de urgência em ação civil pública, sobre potencial colapso em uma mina da companhia localizada em Maceió (AL).

Continua após a publicidade

O valor atribuído à causa pelos autores da ação é de R$ 1 bilhão, segundo a petroquímica.

A ação foi ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Estado de Alagoas (MPF-AL) e Defensoria Pública da União (DPU) contra a companhia e o município de Maceió.

No início da noite de quarta-feira (29), a capital alagoana decretou estado de emergência diante do risco iminente de colapso em um dos poços da antiga mina de sal-gema da Braskem.

A Braskem informou que encerrou a extração de sal-gema em Maceió em 2019, após o aparecimento de rachaduras em imóveis e vias de quatro bairros da capital alagoana, na região da mina. Imóveis tiveram que ser desocupados e famílias realocadas. Ainda há moradores em bairros próximos à área sob risco.

Este material foi elaborado exclusivamente pelo Suno Notícias (sem nenhuma participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo nenhum tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco. Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora