IPCA
0,83 Mai.2024
Topo

Quando consigo me aposentar e viver de renda investindo R$ 1.500 por mês?

Vida financeira tranquila na aposentadoria: Veja quanto é preciso investir para chegar a esse conforto - iStock
Vida financeira tranquila na aposentadoria: Veja quanto é preciso investir para chegar a esse conforto Imagem: iStock

Fernando Barbosa

Colaboração para o UOL, em São Paulo

04/05/2023 11h00

Quer receber matérias como essa toda semana no seu e-mail? Assine a newsletter UOL Investimentos.

Muita gente quer investir no futuro para poder garantir uma aposentadoria tranquila. Mas quanto dinheiro você precisa para conseguir parar de trabalhar? Quais são os principais cuidados? Veja as recomendações de especialistas.

Como planejar a aposentadoria?

Patrimônio deve ser suficiente para cobrir as despesas. O investidor deve começar estipulando seu custo de vida, para entender quais serão os valores necessários para cobrir suas obrigações de rotina, afirma a sócia-fundadora e CEO da gestora Alocc, Sigrid Guimarães.

Dito isso, é hora de entender o quanto é o seu gasto anual. Dessa forma, é possível estimar quanto é preciso juntar por ano, a partir daquele momento, e ao longo dos anos, até a data da aposentadoria.

Comece a poupar o quanto antes. Ao acumular capital, o investidor pode colher os frutos do efeito dos juros compostos, ou seja, quanto mais ele guardar, maior será o retorno a partir dos aportes recorrentes.

É importante ter uma mentalidade para poupar. "É preciso poupar desde cedo para o dinheiro te servir na vida, ser seu instrumento para atingir seus objetivos e ter uma aposentadoria tranquila", afirma a sócia e CEO da Vita Investimentos, Claudia Salles.

Quanto é preciso para viver de renda?

Colocar na ponta do lápis é importante. Segundo cálculos de Sigrid Guimarães a pedido do UOL, uma pessoa que poupasse R$ 1.500 por mês (R$ 18 mil por ano), poderia alcançar um patrimônio de R$ 1.195.899 em 30 anos. Assim, ganharia o equivalente a R$ 4.982,91 por mês no futuro.

Quanto maior o investimento, mais rápido se chega no objetivo. Já quem consegue poupar R$ 5.000 por mês (R$ 60 mil por ano) consegue ter um patrimônio de R$ 1.175.917 em apenas 14 anos, metade do tempo, recebendo praticamente o mesmo valor mensal quando for se aposentar.

Veja qual será o patrimônio acumulado e quanto esse dinheiro rende de renda passiva na aposentadoria para quem guarda R$ 1.500, R$ 3.000 ou R$ 5.000 por mês.

Juntando R$ 1.500 por mês (R$ 18.000 por ano)

Em 14 anos

  • Patrimônio acumulado: R$ 352.775,38
  • Renda mensal vitalícia: R$ 1.469,90

Em 20 anos

  • Patrimônio acumulado: R$ 595.187,17
  • Renda mensal vitalícia: R$ 2.479,95

Em 30 anos

  • Patrimônio acumulado: R$ 1.195.899,26
  • Renda mensal vitalícia: R$ 4.982,91

Juntando R$ 3.000 por mês (R$ 36.000 por ano)

Em 14 anos

  • Patrimônio acumulado: R$ 705.550,75
  • Renda mensal vitalícia: R$ 2.939,79

Em 20 anos

  • Patrimônio acumulado: R$ 1.190.374,35
  • Renda mensal vitalícia: R$ 4.959,89

Em 30 anos

  • Patrimônio acumulado: R$ 2.391.798,51
  • Renda mensal vitalícia: R$ 9.965,83

Juntando R$ 5.000 por mês (R$ 60.000 por ano)

Em 14 anos

  • Patrimônio acumulado: R$ 1.175.917,92
  • Renda mensal vitalícia: R$ 4.899,66

Em 20 anos

  • Patrimônio acumulado: R$ 1.983.957,25
  • Renda mensal vitalícia: R$ 8.266,49

Em 30 anos

  • Patrimônio acumulado: R$ 3.986.330,85
  • Renda mensal vitalícia: R$ 16.609,71

E a inflação?

Essas simulações consideram um rendimento real de 5% ao ano. Ou seja, esses investimentos rendem 5% acima da inflação todo ano. Esse é um patamar possível em boa parte dos ativos disponíveis no mercado.

Para ter renda vitalícia, você só pode sacar o que render acima da inflação. Assim, o seu patrimônio não diminui - nem com os saques mensais nem com a inflação.

Considere a inflação. Os valores finais serão maiores que os apresentados aqui, mas têm o mesmo poder de compra que os atuais.

Onde aplicar o dinheiro?

Busque investimento com risco baixo e alta liquidez. Sigrid Guimarães afirma que os títulos públicos federais, com o Tesouro Direto, os fundos DI sem risco de crédito e CDBs são opções, uma vez que o dinheiro tem um uso já planejado, e esses investimentos não oscilam tanto como a renda variável.

Diversifique seus investimentos. "Se puder investir mais, o excedente pode e deve ser diversificado em outras categorias, a exemplo de multimercados e ações, o que vai trazer uma maior diversificação e eficiência para a carteira", diz a CEO da Alocc.

E as dicas para quem quer se aposentar?

Entenda o seu perfil de risco. Você é um investidor conservador, moderado ou arrojado? Entender essa diferença de perfil pode ser um atalho para alcançar o objetivo mais rápido e de forma mais segura. Veja aqui como saber qual é o seu perfil de investidor.

Fase de vida pode alterar estratégia. Uma pessoa jovem pode correr mais risco para obter um resultado maior, ao passo que alguém com uma idade mais avançada normalmente costuma priorizar ativos que ofereçam mais segurança, para não ter tantas variações.

Carteira não deve ser estática. Apesar do horizonte de longo prazo, a composição dos investimentos devem acompanhar as situações de mercado e as condições econômicas no mundo.

No atual cenário de juros altos no mundo, o investidor pode priorizar os ativos de renda fixa, considerados mais vantajosos. Em caso da queda de juros, a renda variável, como ações, podem trazer um retorno mais interessante.

Mas isso não significa que os investimentos devem se concentrar apenas em uma classe de ativos. É possível —e até recomendado— ter diferentes ativos para reduzir os riscos.

Renda passiva

Quer saber mais sobre investimentos? O Papo com Especialista terá um grande aulão sobre investimentos inteligentes para quem está começando, a partir do dia 20 de abril. Vamos falar sobre tudo o que você precisa saber para conseguir viver com uma renda dos seus investimentos e ter sempre um dinheiro pingando na sua conta.

Serão quatro aulas, em que vamos tratar de ações que pagam dividendos, fundos imobiliários, títulos de renda fixa e fundos de investimentos. A primeira aula já está no ar.

As aulas vão poder ser assistidas ao vivo, toda quinta-feira das 16h às 17h. Assinantes podem reassistir às aulas quantas vezes quiserem. Ao final, os assinantes UOL vão ganhar guia exclusivo sobre como ter renda com seus investimentos. Assine aqui e participe!

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.