Boeing avalia em mais de US$ 6 tri o mercado aeronáutico até 2036

Le Bourget, França, 20 Jun 2017 (AFP) - A fabricante americana Boeing publicou nesta terça-feira suas previsões para o mercado aeronáutico até 2036, com uma demanda avaliada em 41.030 novos aviões e um total de 6,05 trilhões de dólares.

"Acreditamos que a frota (mundial de aviões) será duplicada", disse Randy Tinseth, vice-presidente de marketing da filial de aviação civil da Boeing no salão aeronáutico de Le Bourget (França).

Essa previsão é parecida com a de sua principal rival, a fabricante europeia Airbus, que recentemente avaliou a demanda dos próximos 20 anos em 35.000 aviões por um valor de 5,3 trilhões de dólares.

Segundo Boeing, o tráfego de passageiros aumentará em 4,7% por ano nos próximos vinte anos.

A Ásia será o principal motor do setor nos próximos anos, particularmente suas companhias de baixo custo (low cost) que utilizam aviões de média distância, como o 737 MAX de Boeing e o A320neo da Airbus.

"Achamos que haverá uma forte demanda para substituir (os atuais) aviões", garantiu Tinseth.

Por continente, a demanda será de 16.050 novas aeronaves na Ásia, o dobro do que na América do Norte (8.640) e na Europa (7.530).

Também haverá uma demanda significativa no Oriente Médio (3.350) e na América Latina (3.010), assim como na Comunidade de Estados Independentes (CEI, os países da antiga URSS, 1.230 aviões) e África (1.220).

Por setores, a Boeing prevê uma demanda de 29.530 novos aviões de média distância e 9.130 de longa distância. A fabricante de Seattle também prevê uma demanda de 2.370 aviões regionais.

dlm/fka/spi/pc.zm/cc

BOEING

AIRBUS GROUP

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos