PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Por causa da Covid-19, credores aceitam apelo do Equador de adiar pagamento de juros

17/04/2020 22h39

Quito, 18 Abr 2020 (AFP) - Os credores do Equador concordaram em prorrogar até agosto o prazo para o país pagar 811 milhões de dólares em juros sobre sua dívida externa, informou nesta sexta-feira o presidente Lenin Moreno, que planeja usar esse fundo para combater o novo coronavírus.

"Os detentores de dívida confiam no Equador. Eles concordaram em renegociá-la. Acabamos de economizar 811 milhões de dólares que servirão para aliviar a emergência nacional que o país está enfrentando!", escreveu Moreno no Twitter.

O governo equatoriano solicitou em 8 de abril passado transferência para 15 de agosto da data para o pagamento de juros dos títulos com vencimento entre 2022 e 2030 e no valor de cerca de 19 bilhões de dólares.

Quito pagou em março 320 milhões de dólares em capital com os títulos de 2020, com o objetivo de obterr mais 2 bilhões de organizações financeiras para aliviar a emergência de saúde devido à pandemia de coronavírus no país, que possui 8.450 infectados, incluindo 421 mortos.

O Equador, cuja dívida pública é de cerca de 65 bilhões de dólares, prevê em 2020 uma contração de 4% do PIB (110 bilhões de dólares) devido ao coronavírus e à queda no preço do petróleo, seu principal produto de exportação.

A economia dolarizada do Equador também foi afetada pela ruptura dos dois oleodutos do país, por isso terá que suspender as vendas de petróleo, que em 2019 geraram 7,731 bilhões de dólares.

Com o consentimento para adiar o pagamento dos juros dos títulos, o governo Moreno planeja "iniciar o processo ordenado de melhoria do perfil de sua dívida", acrescentou o ministério da Economia, insistindo que "continuará o diálogo com os detentores de títulos para alcançar acordos ".

pld/dg/lca

Twitter

PUBLICIDADE