PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Adiada audiência no Congresso dos EUA com gigantes da tecnologia

24/07/2020 20h50

Washington, 24 Jul 2020 (AFP) - Uma aguardada audiência prevista para a segunda-feira em uma comissão do Congresso americano com altos executivos de quatro gigantes tecnológicos a fim de examinar seu papel dominante no mercado foi adiada para a sexta-feira (24).

O comitê de Assuntos Judiciais da Câmara de Representantes informou o adiamento sem nova data da audiência na qual seria abordado se Amazon, Apple, Facebook e Google incorrem em práticas que afetam a concorrência.

O adiamento se deveu ao funeral do falecido representante e líder dos direitos civis John Lewis, que será realizado na segunda-feira no Capitólio dos Estados Unidos.

A audiência foi convocada em meio a crescentes preocupações com o domínio em diversas áreas e mercados das gigantes da tecnologia, algo que se potencializou durante a pandemia da COVID-19, enquanto são realizadas investigações a nível federal e estadual sobre estas empresas.

Os diretores executivos Tim Cook (Apple), Jeff Bezos (Amazon), Mark Zuckerberg (Facebook) e Sundar Pichai (Google) haviam aceitado participar da sessão.

O comitê judicial parlamentar analisa há mais de um ano a possibilidade da existência de um abuso de posição dominante por parte das GAFA (acrônimo para Google, Amazon, Facebook e Apple) e a pertinência das leis antimonopólio existentes e suas aplicações.

- Plataformas omnipresentes -Por um lado, Google e Facebook, que juntos concentram a maior parte das receitas com publicidade digital no mundo, brindam serviços "gratuitos" que se tornaram dominantes em seu nicho. É o caso do Google com sua ferramentas de busca e a plataforma de vídeos Youtube.

O Facebook, com suas redes sociais (plataforma principal e Instagram) e seus aplicativos de mensagens (Messenger e WhatsAapp), alcança cerca de 3 bilhões de pessoas no mundo todo mês.

As interações dos usuários com estas ferramentas de pesquisa, comunicação e entretenimento permitem às empresas criar uma base de dados com o perfil dos consumidores, o que facilita na hora de oferecer espaços publicitários direcionados e personalizados em grande escala.

Já Apple e Amazon, com suas plataformas de vendas, estão na mira dos congressistas por serem ao mesmo tempo donas de mercados e comerciantes de produtos.

As quatro gigantes da tecnologia estão sendo investigadas pelas agências de regulação, pelo Departamento de Justiça, pela Procuradoria-Geral dos Estados Unidos e por outros tribunais sobre temas como a proteção dos dados pessoais dos cidadãos.

No ano passado, a agência federal de proteção ao consumidor impôs ao Facebook uma multa recorde de 5 bilhões de dólares por não proteger as informações confidenciais dos usuários.

As investigações buscam também determinar se as gigantes do Vale do Silício evitam ilegalmente o surgimento de competidores e se suas práticas reduzem a inovação no mercado ou afetam os consumidores.

rl/ft/mls/ll/mvv/am/mvv