Petróleo recua diante da ameaça relativa dos rebeldes huthis

Os preços do petróleo caíram nesta sexta-feira (19), enquanto o mercado colocava em perspectiva o alcance dos ataques dos rebeldes huthis do Iêmen no Mar Vermelho, e o equilíbrio entre a oferta e a demanda continua levantando dúvidas.

O preço do barril Brent do Mar do Norte, de referência na Europa, para entrega em março, caiu 0,68% e fechou em 78,56 dólares.

Seu equivalente americano, o West Texas Intermediate (WTI), para entrega em fevereiro, perdeu 0,90%, para 73,41 dólares.

O petróleo tinha ganhado terreno inicialmente, com o WTI registrando um aumento de até 1,12% durante a sessão, antes que a tendência se invertesse, mas mantendo os preços dentro de margens estreitas.

"Apesar dos temores e das discussões sobre o que está ocorrendo no Mar Vermelho, a verdade é que ainda não se perdeu petróleo", comentou John Kilduff, analista da Again Capital.

Nesta sexta-feira, o Exército americano realizou uma nova rodada de ataques contra os rebeldes huthis do Iêmen, visando lançadores de mísseis que estavam sendo preparados para atacar embarcações no Mar Vermelho, informou a Casa Branca.

Essas ações ocorreram após os ataques com mísseis contra um navio mercante americano no Golfo de Áden na quinta-feira.

Segundo Gregory Brew, analista do Eurasia Group, os huthis indicaram hoje que não consideravam como alvos os cargueiros sauditas e emiradenses.

"É um elemento negativo para o mercado" do petróleo, estimou John Kilduff. "Com os iranianos, de quem [os huthis] são aliados, são muitos os grandes produtores que não estão na sua mira".

Continua após a publicidade

"Para o mercado, portanto, continuam sendo acontecimentos de baixo risco" para os fluxos de petróleo, tal e como estão, segundo o analista.

tu/er/atm/mar/rpr

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes