Wall Street segue em alta e acumulando recordes

A bolsa de valores de Nova York manteve o impulso da semana passada e encerrou o pregão desta segunda-feira (22) em leve alta, com o Dow Jones e o S&P 500 em níveis recorde.

O principal índice da bolsa nova-iorquina, o Dow Jones Industrial, ganhou 0,38%, um novo máximo histórico, acima dos 38.000 pontos. Já o índice tecnológico Nasdaq subiu 0,32%, para 15.360,29 unidades, e o S&P 500, 0,22%, para um novo máximo, 4.850,43 pontos.

"O mercado manteve seu impulso de alta da semana passada", observou Peter Cardillo, da Spartan Capital. "Será uma semana importante com dois grandes indicadores [...]: o crescimento do PIB no quarto trimestre e o índice PCE de inflação", o preferido pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano), acrescentou.

Para o PIB, que será conhecido na quinta-feira, os analistas esperam uma expansão de 2% em projeção anual (a estimativa em 12 meses se forem mantidas as condições no momento da medição).

Além disso, o mercado receberá diversos resultados de empresas importantes, começando nesta terça por Johnson & Johnson, General Electric, Procter & Gamble, Lookeed Martin e Netflix, entre outros. A Tesla publicará seus números na quarta-feira.

Os rendimentos dos títulos do Tesouro, no entanto, cederam, para 4,10% para os papéis com vencimento em dez anos, em comparação com os 4,12% de sexta-feira às 21h GMT. 

No mercado de ações, a Boeing se manteve praticamente sem mudanças (-0,04%), apesar dos pedidos da FAA, a agência de aviação civil americana, de inspecionar as portas "cegas" dos Boeing 737-900ER, após os incidentes observados nos modelos 737 MAX 9, que têm design bastante similar.

O anúncio da FAA acontece após o incidente ocorrido em 5 de janeiro em um voo da Alaska Airlines, durante o qual uma porta cega se desprendeu em leno ar de um Boeing 737 MAX 9 que decolou de Portland (Oregon) rumo a Ontário (Califórnia).

A United Airlines, que após o fechamento do mercado publicou uma previsão de perda no primeiro trimestre do ano devido ao problema com os 737 MAX 9 da Boeing que devem permanecer em terra, fechou em baixa de 0,95%, mas chegou a disparar 6% nas transações eletrônicas posteriores ao fechamento.

Continua após a publicidade

A rede de lojas Macy's subiu 3,52%, para 18,25 dólares, após rechaçar uma oferta de compra de um grupo de investidores por 5,8 bilhões (R$ 28,7 bilhões).

Por outro lado, a companhia Digital World Acquisition (DWAC), que reúne as atividades de mídia do ex-presidente Donald Trump, viu suas ações dispararem 88%, para 49,69 dólares, depois que Ron DeSantis, o governador da Flórida e rival do ex-presidente na disputa interna republicana, desistiu de sua candidatura no domingo.

vmt/spi/mr/mel/rpr/am

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes