Bolsas

Câmbio

Campos petrolíferos virgens do México atraem novos exploradores

Adam Williams

(Bloomberg) -- Enquanto mais de 180.000 poços onshore produzem petróleo no Texas, apenas 8.250 foram perfurados pela Petróleos Mexicanos do outro lado da fronteira, no México. Bem-vindo à terra da oportunidade.

Aqueles que apresentaram ofertas pelos 25 campos mexicanos leiloados em 15 de dezembro dizem que a promessa de recursos inexplorados, e não necessariamente os baixos custos das propostas, geraram a taxa de sucesso de 100 por cento na venda dos lotes em meio às maiores baixas em 11 anos nos preços internacionais do petróleo.

O fraturamento hidráulico, ou fracking, mudou a cara da produção de petróleo dos EUA -- aumentando a produção do país em mais de 60 por cento de 2010 para cá --, mas o México "nem sequer arranhou a superfície da exploração não convencional", segundo Craig Steinke, CEO da Renaissance Oil Corp., que ganhou os direitos para o desenvolvimento de três campos onshore no leilão do mês passado.

"A densidade da perfuração no México está imensamente subdesenvolvida em relação ao restante da América do Norte", disse ele.

Reservas maiores

Stefan Olivier, CEO da MX Oil Plc, com sede em Londres, disse que sua empresa apresentou oferta para os campos mexicanos e ganhou direitos de perfuração de quatro deles porque acredita que as reservas do México são significativamente maiores do que os números citados pela Pemex. "Esse é o verdadeiro atrativo", disse ele.

Após um início lento nos primeiros leilões petrolíferos privados da história do país, realizados no ano passado, o México entregou a 22 empresas de serviços e produção os direitos para explorar e extrair petróleo de campos onshore em todo o país. Novas empresas locais, algumas sem experiência anterior, serão as primeiras a explorar os recursos onshore do México, nos quais a Pemex estima 13 trilhões de metros cúbicos de petróleo e gás de xisto inexplorados avaliados em US$ 2,2 trilhões guardados nas formações rochosas sob seu solo.

"Se compararmos o que está sendo perfurado ao norte da fronteira com o que está sendo perfurado ao sul dela, estamos falando de áreas praticamente virgens", disse Olivier, cuja empresa ganhou o direito de desenvolvimento compondo um grupo ofertante com a Geo Estratos SA.

O petróleo West Texas Intermediate atingiu o menor nível em 12 anos, de US$ 33,27 por barril, e estava sendo negociado a US$ 32,94 às 10h37 da sexta-feira. Os preços caíram em mais de dois terços desde junho de 2014 porque a Opep está bombeando próximo a níveis recorde, concentrada em manter participação de mercado diante da produção crescente de países como Rússia e EUA. No período, o índice formado por empresas de exploração de petróleo e gás da Standard Poor's caiu 58 por cento.

Projeções de produção

O pico da produção nos 25 campos onshore leiloados em dezembro atingirá 77.000 barris por dia e exigirá um investimento total de US$ 1,1 bilhão, segundo Juan Carlos Zepeda, chefe da Comissão Nacional de Hidrocarbonetos. O México também leiloou cinco áreas petrolíferas offshore no ano passado, que deverão aumentar a produção em mais de 100.000 barris de petróleo em apenas cinco anos.

"Esperamos ter produção em breve", disse Matt McCarroll, presidente e CEO da Fieldwood Energy LLC, em um evento na quinta-feira na Cidade do México. A empresa com sede em Houston, juntamente com a Petrobal, uma firma recém-criada pelo bilionário Alberto Baillères, em breve começará a avaliar o processo para iniciar a perfuração de seu primeiro poço no México, disse McCarroll.

A produção de petróleo antecipada pelas produtoras privadas foi anunciada como o remédio para a paralisação dos 11 anos de declínio na produção de petróleo do país.

O México tem tido sucesso no desenvolvimento de sua indústria petrolífera além da Pemex, mas a contribuição das empresas privadas à produção global de petróleo do país ainda tardará anos, disse Luana Siegfried, pesquisadora do setor de energia da Raymond James Financial Inc. em Houston.

"Vemos a contribuição para a produção total do México chegar a longo prazo, o que significa cinco a 10 anos", disse Siegfried por telefone. "Conseguir isso imediatamente é muito difícil".

"Nós acreditamos que a oportunidade no México é de classe mundial", disse Steinke, da Renaissance Oil. "Este é um dos três melhores lugares do mundo para explorar petróleo e gás".

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos