Bolsas

Câmbio

Gestores ativos superam ETFs de títulos especulativos

Emma Orr

(Bloomberg) -- Está cansado de seu gestor de ações? Sem problemas, compre um fundo negociado em bolsa que monitore o S&P 500. Mas, se você estiver farto de seu gestor de títulos junk, boa sorte para encontrar um ETF que consiga superá-lo.

Desde 2007, mais de 80 por cento dos gestores ativos de yield alto monitorados pela Bloomberg registraram retornos melhores que o iShares iBoxx $ High Yield Corporate Bond ETF, de US$ 15,9 bilhões, da BlackRock, e que o SPDR Barclays High Yield Bond ETF, de US$ 11,3 bilhões, da State Street, os dois maiores de seu tipo. Nas ações, menos de 25 por cento dos gestores superaram os índices durante esse período.

Por que os gestores ativos se saem melhor com os títulos junk é uma dúvida angustiante para os investidores que injetaram US$ 61 bilhões em ETFs de títulos em 2016. Um motivo é a escassez: ao contrário das ações, onde existe um ETF para cada estilo, o mercado de yield alto oferece muito menos opções. Outro é o desafio de montar índices em renda fixa que ofereçam liquidez suficiente para manter os ETFs à tona.

'Veículo horrível'

Os ETFs de títulos junk são "um veículo horrível para acumular riqueza com o tempo", disse Gershon Distenfeld, diretor de yield alto da AllianceBernstein Holding, que administra US$ 35 bilhões. "Fato é fato".

Distenfeld, que administra diversos fundos de crédito ativos, é um crítico declarado dos investimentos passivos em títulos junk. Mas ele tem dados para comprovar suas alegações: desde o começo de 2008, mais de 90 por cento dos gestores de yield alto monitorados pela Morningstar registraram retornos melhores que o ETF de títulos junk médio, ao passo que, nas ações, apenas 20 por cento dos gestores ativos ganharam.

Ninguém afirma que os desafios dos ETFs de títulos fazem com que eles sejam automaticamente um investimento inferior. Se os títulos junk subirem, a posse de dívida de yield alto vai gerar dinheiro, independentemente da embalagem. Nem todos os que possuem um ETF junk estão tentando superar os gestores ativos. A BlackRock observa que a porcentagem de gestores ativos que supera seu ETF é menor quando todas as classes de ação em fundo mútuo são consideradas e seu título teve longos períodos de desempenho superior.

Facilidade de uso

Assim como costuma ocorrer com os títulos, a liquidez, ou a facilidade com que algo pode ser comprado e vendido, é um ponto central nos ETFs junk. As coisas que permitem negociar ETFs como ações em tempo real requerem rápidas sucessões de compras e vendas dos ativos subjacentes, processos que se tornam mais difíceis quanto menos líquidos forem esses ativos. Como resultado, os grandes ETFs junk monitoram conjuntos de títulos muito líquidos - e esses nem sempre têm o melhor desempenho.

"O que um ETF faz no crédito é mais do que simplesmente fornecer um desempenho passivo. Na verdade, ele concede a capacidade de negociar um mercado ilíquido de modo relativamente líquido", disse Oleg Melentyev, diretor de estratégia de crédito para os EUA do Deutsche Bank. "Nada é de graça neste mundo, então essa capacidade que o ETF oferece tem um preço".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos