Motoristas de Pequim poderão alugar carro da Audi por smartphone

Bloomberg News

(Bloomberg) -- Os moradores de Pequim poderão em breve ter a possibilidade de alugar veículos Audi por hora usando smartphones. A fabricante alemã de carros de luxo está lançando o serviço em Hong Kong e considera a possibilidade de disponibilizá-lo também nas cidades da parte continental do país.

A capital da China realiza uma loteria para distribuir um número limitado de licenças com o objetivo de controlar a frota de veículos. A probabilidade de êxito no sorteio pode ser menor que a de ganhar na roleta em um cassino. Além disso, o uso de veículos de passageiros é restrito a alguns números de placa em determinados dias da semana e, com isso, fica ainda mais caro ter carro.

Essas condições transformam Pequim em candidata a um serviço como o Audi at home, que permite que os usuários aluguem um Audi por hora por meio de um aplicativo para smartphones, disse o diretor de vendas da Audi, Dietmar Voggenreiter. A unidade de luxo da Volkswagen lançou o programa em Hong Kong nesta quarta-feira após estreá-lo em São Francisco e Miami.

"No dia do rodízio você pode usar o serviço Audi at home", disse Voggenreiter em entrevista nesta quarta, em Hong Kong. "O programa se encaixa perfeitamente a Pequim".

Em Hong Kong, a Audi se uniu à incorporadora Kerry Properties para oferecer o serviço aos moradores do complexo de luxo Dragons Range, onde 90 usuários se inscreveram para alugar carros a 200 dólares de Hong Kong (US$ 26) por hora. Existem planos para expandir a oferta a outros lugares.

O serviço pode ser atraente para os mais ricos, que "realmente não moram 30 dias por mês na cidade, mas precisam pagar 30 dias pelos carros que possuem", disse Voggenreiter.

Sobre a perspectiva para a China, segundo Voggenreiter a Audi estima que as vendas em seu maior mercado crescerão cinco a 10 por cento neste ano, contra um declínio de 1,4 por cento em 2015. A fabricante de automóveis mira um "crescimento lucrativo e saudável" e quer assegurar que suas concessionárias tenham um determinado nível de lucratividade, por isso não está impulsionando vendas com grandes descontos, disse ele.

As concessionárias obtêm um lucro médio de 66 yuans (US$ 10) com a venda de cada carro de luxo na China, contra 487 yuans em junho, após aumentarem os descontos para competir por vendas, segundo dados compilados pela WAYS Consulting.

As vendas da Audi na China, incluindo Hong Kong, subiram 6,5 por cento nos sete primeiros meses, para 336.580 unidades, ritmo mais lento do que o ganho de 11 por cento do setor em vendas de veículos de passageiros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos