Bolsas

Câmbio

Cofundador do Google está construindo dirigível em segredo

Ashlee Vance

(Bloomberg) -- Larry Page tem seus carros voadores. Sergey Brin terá um dirigível.

Brin, o cofundador do Google, vem construindo secretamente um enorme dirigível dentro do Hangar 2 do Centro de Pesquisa Ames da Nasa, a agência espacial dos EUA, segundo quatro pessoas com conhecimento do projeto. Não está claro se o veículo, que parece um Zeppelin, é um hobby ou algo que Brin espera transformar em negócio. "Desculpe, não tenho nada a dizer sobre esse assunto no momento", escreveu Brin em um e-mail.

As pessoas com conhecimento do projeto disseram que Brin é fascinado por dirigíveis há muito tempo. O interesse dele nesses veículos começou quando Brin visitou o Ames, que fica ao lado da sede da empresa controladora do Google, a Alphabet, em Mountain View, Califórnia. Nos anos 1930, o Ames abrigava o USS Macon, um enorme dirigível construído pela Marinha dos EUA. Há cerca de três anos, Brin decidiu construir um por conta própria depois de ver fotos antigas do Macon.

Em 2015, a Planetary Ventures, uma unidade do Google, assumiu o controle dos grandes hangares do Ames da Nasa e os transformou em laboratórios da empresa. O dirigível de Brin, que não é um projeto da Alphabet, já está ganhando forma dentro de um deles. Engenheiros construíram um esqueleto de metal do veículo, que ocupa boa parte do enorme hangar.

Alan Weston, ex-diretor de programas do NASA Ames, está liderando o projeto do dirigível de Brin, segundo as pessoas, que pediram anonimato por estarem discutindo planos sigilosos. Weston não respondeu aos pedidos de comentário.

Em entrevista de rádio em 2013, Weston descreveu seu plano de fabricar um dirigível que poderia ser usado para transportar cargas. A ideia é que os dirigíveis podem ter maior eficiência de combustível que os aviões e transportar cargas diretamente para onde elas são necessárias, e não para centros de transporte como aeroportos ou estações de distribuição.

"As novas tecnologias de dirigíveis trazem a promessa de reduzir o custo para transportar coisas por tonelada-quilômetro em até uma ordem de magnitude", disse Weston na entrevista. "Depende do tamanho do dirigível. Um dirigível maior pode reduzir muito mais os custos que um menor, mas existe um design de uma classe de veículos capaz de levantar até 500 toneladas que poderia realmente ter maior eficiência de combustível até que um caminhão."

Ele descreveu um protótipo que estava estudando de um dirigível baseado em hélio que parecia respirar. "A forma de funcionamento é que o hélio do compartimento principal é tomado e armazenado em bolsões dentro do dirigível a uma pressão ligeiramente maior", disse ele. "Quando você faz isso, o ar é absorvido do exterior, essencialmente como pulmões conectados ao lado do veículo. Por isso a analogia da respiração é boa. E a elevação geral do veículo é equivalente ao peso do ar que está sendo deslocado pelo hélio. Quando mudamos isso, podemos controlar a capacidade de flutuação do veículo."

Essa técnica, segundo Weston, permitiria que o dirigível transportasse 500 toneladas sem necessidade de lastro. Após ser contactado para falar sobre o dirigível, Weston mudou seu perfil no LinkedIn para listar seu emprego atual como CEO da "Ltare". Posteriormente ele removeu a postagem.

Page, o CEO da Alphabet e cofundador do Google com Brin, financiou pelo menos dois projetos secretos de carros voadores -- as startups Kitty Hawk e Zee.Aero, também fora da Alphabet. Page começou a revelar um desses esforços -- na segunda-feira, a Kitty Hawk divulgou um vídeo mostrando um de seus veículos totalmente elétricos decolando e voando sobre um lago com o motorista sobre ele.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos