PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

CEO da Uber quer fazer parcerias com fabricantes de carros

Yuji Nakamura e Saritha Rai

22/02/2018 13h24

(Bloomberg) -- A maior fabricante de carros e a maior empresa de transporte particular do mundo pretendem unir forças no campo da direção autônoma em um momento em que mudanças tecnológicas estão revolucionando o setor de transporte.

Nesta quinta-feira, Dara Khosrowshahi, CEO da Uber Technologies, publicou no Twitter uma foto sua com o presidente da Toyota Motor, Akio Toyoda, e o vice-presidente executivo, Shigeki Tomoyama, na sede da fabricante de veículos. O CEO da Uber está sorrindo e segurando um taco de beisebol preto de Ichiro Suzuki, herói local, enquanto Toyoda ri a seu lado.

"Diversão com Akio-San e Tomoyama-San na sede da @ToyotaMotorCorp", escreveu ele. "Excelentes discussões sobre como estimular nossa parceria #autônoma e lições para mim sobre construir uma cultura ótima. E, sim, esses tacos são de Ichiro."

A fotografia animada resume uma parceria que Khosrowshahi espera estender a outras fabricantes. Tudo faz parte de um plano para colocar veículos autônomos da frota da Uber nas ruas daqui a um ano, disse ele a jornalistas durante uma mesa-redonda com a imprensa em Nova Déli, parada atual da turnê pela Ásia que passou pelo Japão.

"Em menos de um ano, haverá veículos autônomos de nossa frota nas ruas", disse ele em Nova Déli. "Muito antes do que vocês imaginam."

Novo capítulo

Khosrowshahi tenta deixar para trás uma constrangedora batalha judicial contra a Alphabet, que acusou a Uber de roubar segredos sobre direção autônoma. A Uber desembolsou cerca de US$ 245 milhões neste mês para resolver o caso, e o encontro entre Khosrowshahi e Toyoda demonstra que a empresa continua comprometida a desenvolver essa tecnologia com parceiros. Para a Toyota, laços mais estreitos poderiam ajudá-la a acompanhar o ritmo de rivais como a Nissan Motor, que está desenvolvendo sua própria solução de autonomia.

Na viagem pela Ásia, Khosrowshahi deixou claro que a empresa de transporte particular não reduzirá suas ambições em determinados mercados regionais, apesar da especulação sobre um recuo. A companhia continuará investindo para se tornar líder na Índia e superar a concorrente local Ola, disse ele. No Japão, a Uber está disposta a fazer parcerias com empresas japonesas de táxi para ter sucesso, embora sua participação de mercado lá seja inferior a 1 por cento e a empresa só ofereça serviços limitados no país.

A Uber enfrenta uma batalha difícil na terra da SoftBank Group, maior acionista da Uber. Concorrentes locais, como a Nihon Kotsu, a maior empresa de táxis de Tóquio, já lançaram aplicativos populares para pedir táxi. A rival chinesa da Uber, Didi Chuxing, começou a negociar no ano passado uma parceria com a operadora de táxis Daiichi Koutsu Sangyo, e as negociações foram facilitadas pela SoftBank, disse uma pessoa familiarizada com o assunto à Bloomberg em outubro. Também há rumores de que a Uber esteja negociando um empreendimento com a Daiichi Koutsu.

--Com a colaboração de Kevin Buckland