ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Mineiros de criptomoedas desonestos usam falha para atacar

Olga Kharif

30/05/2018 13h26

(Bloomberg) -- Uma das peculiaridades mais temidas das criptomoedas está virando uma dor de cabeça maior.

Nas últimas semanas, operadores desonestos de algumas das redes de computadores que realizam os cálculos complexos que verificam transações de várias moedas estão atacando novamente suas próprias redes. Desta vez o alvo é o Bitcoin Gold, uma ramificação da moeda digital mais famosa, com capitalização de mercado de US$ 729 milhões.

Esses ataques dos 51 por cento, nos quais os chamados mineiros obtêm o controle da maior parte do poder de computação da rede para falsificar transações, estão gerando ganhos ilícitos que podem colapsar o valor das moedas. Sob ataque há mais de uma semana, o Bitcoin Gold caiu 26 por cento desde 18 de maio.

Houve ataques semelhantes às moedas Verge, Monacoin e Electroneum, segundo a Autonomous Research. Para ganhar poder sobre uma moeda com valor de mercado de US$ 500 milhões é possível que o invasor precise investir apenas US$ 778 por hora, segundo a Autonomous.

Afinal, muitas dessas moedas menores -- e atualmente existem mais de 1.600, considerando apenas as importantes -- viram uma disparada em seus valores e se tornaram alvos valiosos para criminosos. Alguns maus elementos também poderiam querer afetar uma moeda para elevar o valor de outra, disse Spencer Bogart, sócio da Blockchain Capital, por e-mail.

O grupo de mineiros que respalda muitas dessas moedas ainda é pequeno, por isso chegar ao limite de 51 por cento é uma tarefa relativamente barata, especialmente agora que fabricantes como a Bitmain começaram a lançar máquinas de mineração mais poderosas e baratas que produzem mais moedas. No início do ano, a Bitmain informou que criou máquinas capazes de minerar Bitcoin Gold, criando um alvoroço entre os usuários da rede.

"A infraestrutura das comunidades pequenas é frágil e, a menos que seja privada, não gera efeitos sobre a rede", disse Lex Sokolin, diretor global de estratégia para tecnologia financeira da Autonomous Research. "Mas a irracionalidade dos mercados nos últimos tempos tem fixado preços elevados para tudo -- moedas alternativas, ICOs --, de forma que a recompensa dos ataques hackers aumentou. Isso cria um terreno fértil para mais ações mal-intencionadas em todo o setor, desde invasões por hackers até phishing e ataques de 51 por cento."

Para dificultar a execução de um ataque, o Bitcoin Gold planeja atualizar seu software de rede por meio do chamado hard fork. Além disso, está ajustando o algoritmo para dificultar a mineração de suas moedas por computadores -- que podem facilmente obter e agregar poder de rede. Muitas moedas também estão trabalhando para se livrar de vez dos mineiros.

"Será oferecida mais proteção pelo simples motivo de que há menos poder de computação com configuração para minerar com base no algoritmo que planejamos usar em comparação com o algoritmo que temos agora", disse Edward Iskra, porta-voz do Bitcoin Gold.

É possível também que algumas das redes menores não tenham tantos desenvolvedores a postos para corrigir falhas e defender redes. O ataque ao Bitcoin Gold foi direcionado a bolsas que não faziam verificações suficientes dos clientes antes de permitir que negociassem grandes quantias.

"Em muitos aspectos, esses ataques são inevitáveis", disse Bogart. "É o equivalente a deixar um cofre aberto e ainda assim esperar que ele proteja ativos valiosos."

Mais Economia