IPCA
0.43 Fev.2019
Topo

Amazon revela chip de servidor que desafia Intel em preço

Ian King

2018-11-28T14:43:58

28/11/2018 14h43

(Bloomberg) -- A Amazon deu um grande passo para reduzir a dependência em relação à Intel com um componente fundamental para seu serviço de computação em nuvem.

A maior operadora de serviços de nuvem revelou seus próprios processadores para servidores na segunda-feira e anunciou que os chips Graviton suportarão novas versões de seu principal serviço de computação em nuvem, o EC2. Até o momento, a Amazon -- e outras grandes operadoras de nuvem -- usavam quase exclusivamente chips Intel Xeon.

Outras tentativas feitas até o momento não foram capazes de reduzir o controle da Intel sobre o mercado de chips para servidores. Mas a Amazon está usando a estratégia dos descontos que a ajudou a conquistar clientes em diversas oportunidades. A empresa informou que o serviço de nuvem respaldado pelo Graviton está disponível a "um custo significativamente mais baixo" que o de produtos existentes que rodam com processadores Intel.

O analista do Wells Fargo, Aaron Rakers, estimou que o novo serviço será até 45 por cento mais barato que a oferta equivalente baseada em chips da Intel. "Isso somará uma nova questão competitiva ao posicionamento da Intel dentro da AWS Cloud", escreveu em nota técnica, na terça-feira.

Esta é a segunda vez neste mês que a Amazon tenta desferir um golpe no negócio de chips para servidores da Intel. A provedora de nuvem informou em 6 de novembro que está oferecendo serviços baseados em computadores que usam processadores da Advanced Micro Devices. Isso representou um avanço nos esforços da AMD para competir com a Intel.

A Amazon mantém a expectativa de que a Intel será a maior provedora de chips para seus servidores em nuvem e computação de ponta, disse Matt Garman, vice-presidente da Amazon Web Services. Mas decidiu investir o dinheiro na criação de seus próprios projetos porque via caso de uso para a tecnologia rival e tem escala para fazer com que seja válida.

"Queremos nos diferenciar e atender a todos os casos de uso que nossos clientes apresentarem", disse Garman, em entrevista.

Os processadores Intel fazem funcionar mais de 98 por cento dos servidores do mundo e os proprietários de grandes centros de dados como a Amazon, a Microsoft e o Google passaram a figurar entre seus maiores clientes. Apesar de esses gigantes da internet terem reduzido o preço da maioria dos componentes realizando muita engenharia própria, os chips Intel Xeon resistiram a essa pressão. O preço médio de venda desses processadores aumentou com o tempo, algo que quase nunca acontece no setor de eletrônicos.

Os analistas especulam há anos que essas empresas de serviços de nuvem usariam seus grandes orçamentos de pesquisa e desenvolvimento e crescentes habilidades técnicas para encontrar alternativas para os chips da Intel. Elas criaram chips para finalidades específicas, mas o Amazon Graviton é o primeiro exemplo de uma grande empresa que usa seu próprio equipamento para substituir um conjunto de cargas de trabalho de nuvem normalmente controladas por um processador Intel Xeon.

A Amazon está usando a aquisição da startup Annapurna Labs, concretizada em 2015, para projetar seus próprios chips. O novo processador utiliza tecnologia da ARB Holdings, uma unidade da SoftBank Group, padrão dominante nos telefones celulares. O Graviton pode rodar serviços web e outros aplicativos menos intensivos e que apresentam bom desempenho quando muitos servidores trabalham juntos na mesma tarefa, informou a Amazon.

Mais Economia