PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Processadora da China de olho em soja dos EUA: Fontes

Isis Almeida

25/07/2019 08h30

(Bloomberg) -- A China planeja retomar as compras de soja dos Estados Unidos depois do sinal verde para que algumas processadoras possam importar sem tarifas.

Pelo menos uma processadora chinesa de soja se mostrou interessada em comprar carregamentos dos EUA na quarta-feira, segundo pessoas a par do assunto. Os pedidos eram de suprimentos dos terminais do noroeste Pacífico para entrega em setembro e outubro, disseram as pessoas, que pediram anonimato porque as informações são privadas.

O governo chinês liberou cinco empresas para compras de soja dos EUA livre de tarifas de retaliação, enquanto as negociações comerciais entre os dois países continuam, disseram pessoas com conhecimento do assunto na quarta-feira. A cota livre de tarifas para um volume entre 2 milhões e 3 milhões de toneladas faz parte de um gesto de boa vontade em relação aos EUA, segundo as fontes.

Autoridades dos EUA devem viajar para a China na segunda-feira para as primeiras negociações cara a cara, depois do fracasso das conversas em maio. O presidente dos EUA, Donald Trump, havia reclamado que a China não havia aumentado as compras de produtos agrícolas americanos, uma promessa que Trump disse ter sido feita em reunião com Xi Jinping na cúpula do G-20 realizada em Osaka, no mês passado.

Ainda não se sabe se alguma compra de soja foi concluída, disseram as pessoas. Alguns traders mostraram-se céticos quanto à realização das compras, já que as margens de esmagamento continuam baixas e a disseminação da peste suína africana restringe a demanda chinesa pela oleaginosa usada na fabricação de ração. Outros também citaram a concorrência com a América do Sul, onde os preços estão mais ou menos nos mesmos níveis que os estoques americanos.

A China, maior importadora de soja do mundo, comprou cerca de 14 milhões de toneladas de soja dos EUA desde dezembro, quando Washington e Pequim chegaram a uma primeira trégua na disputa comercial. O volume ainda está abaixo dos 30 milhões a 35 milhões de toneladas que a China compra dos EUA por ano.

--Com a colaboração de Steven Yang e Shuping Niu.