ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Sri Lanka volta a proibir venda de álcool a mulheres

17/01/2018 14h26

Colombo, 17 jan (EFE).- O governo do Sri Lanka voltou a tornar ilegal a venda de álcool às mulheres, uma semana depois de a proibição ter sido suspensa, uma decisão à qual grupos de mulheres se opuseram com dois recursos no Tribunal Supremo.

Ali Hassan, porta-voz do Ministério de Finanças, a pasta por trás da legalização inicial, afirmou nesta quarta-feira à Agência Efe que o governo decidiu na terça-feira "reverter" sua decisão.

"Nem o gabinete nem o presidente sabiam que a lei seria revisada até que se fez", justificou hoje o ministro de Saúde e porta-voz do gabinete, Rajitha Senarantne, durante uma coletiva de imprensa.

Senarantne defendeu a proibição pela promessa eleitoral de criar um país "livre de álcool" e assegurou que o governo não pode incitar as mulheres a beber.

Este retorno da proibição fez com que um grupo de 11 mulheres apresentasse um recurso perante o Tribunal Supremo e que outro coletivo tenha anunciado que apresentará uma segunda ação nos próximos dias.

O recurso apresentado hoje pelas 11 mulheres argumenta que a proibição de trabalhar em bares se choca com o direito à igualdade inscrita na Constituição do Sri Lanka.

Até a semana passada estava em vigor na ilha um regulamento que proibia a venda ou entrega de bebidas alcoólicas a uma mulher de qualquer idade nos bares e a contratação delas como garçonetes a não ser que contassem com uma permissão explícita da Comissão de Impostos.

Os supermercados do Sri Lanka seguiam a norma de forma seletiva, enquanto a maioria das discotecas e restaurantes de alta categoria serviam álcool às mulheres sem restrição apesar da proibição.

Tampouco as dezenas de milhares de turistas que visitam a ilha a cada ano costumam encontrar problemas na hora de comprar bebidas alcoólicas.

Mais Economia