PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

FMI adverte para possível onda de inadimplência por crescimento de dívidas

25/06/2020 17h03

Washington, 25 jun (EFE).- O Fundo Monetário Internacional (FMI) advertiu nesta quinta-feira que os altos níveis de dívida poderiam se tornar incontroláveis e desencadear em uma de inadimplências que colocaria em xeque a forças de alguns bancos em meio à grave crise econômica causada pela pandemia de coronavírus.

"Altos níveis de dívida podem se tornar incontroláveis para alguns mutuários, e perdas resultantes de insolvências podem testar a resiliência de alguns países", declarou o Fundo em seu relatório "Estabilidade Financeira Global", divulgado nesta quinta-feira, alertando sobre vulnerabilidades financeiras.

Em uma entrevista coletiva, o diretor do Departamento de Mercado de Capitais da agência, Tobias Adrian, disse que as ações dos bancos centrais em todo o mundo, as quais chamou de "rápidas e ousadas", suavizaram as condições financeiras e reforçaram a confiança do mercado.

A esse respeito, Adrian destacou que os ativos agregados dos dez maiores bancos centrais do mundo aumentaram em aproximadamente US$ 6 trilhões desde o início da crise, o que se soma aos US$ 10 trilhões de apoio fiscal acumulados pelos governos.

Embora o cenário financeiro tenha relaxado no momento, o diretor alertou para a crescente desconexão entre os mercados financeiros e a evolução da economia real, que poderia representar uma ameaça à recuperação se "o apetite pelo risco dos investidores for diluído".

Nesta quarta-feira, o FMI afirmou que a pandemia teve um impacto mais negativo do que o esperado sobre a economia global, uma vez que se espera agora uma contração de -4,9% em 2020, contra -3% estimada em abril. A crise vem tendo efeitos sobre o emprego que o fundo considera "catastróficos" e a recuperação em 2021 será mais gradual do que o esperado.