IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Bolsonaro volta a dizer que juros estão altos para agricultores

Andre Coelho/Folhapress
Imagem: Andre Coelho/Folhapress

Gustavo Porto

Ribeirão Preto

23/06/2019 17h59

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a avaliar, na tarde deste domingo, 23, que os juros estão altos no Brasil. Em um post no Twitter, acompanhado de um vídeo com elogios e detalhes do Plano Agrícola e Pecuário 2019/2020, anunciado terça-feira, 18, Bolsonaro escreveu: "Boas notícias para o campo, mas reconhecemos que os juros ainda estão altos no Brasil". A postagem do presidente foi retuítada, entre outros, pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

Apesar de anunciar recursos semelhantes para o crédito agrícola na safra a ser iniciada em 1º de julho, o governo elevou para 8% as taxas máximas, para o financiamento a grandes produtores, ante 7% na safra atual. Na média, os juros aos agricultores foram elevados entre 0,5 ponto e 1 ponto porcentual entre os períodos.

É pelo menos a segunda vez que o presidente usa o crédito agrícola para criticar juros praticados no País. No dia 29 de abril, na abertura da Agrishow, em Ribeirão Preto (SP), Bolsonaro pediu, ao presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, para que reduzisse juros aos produtores rurais.

"Eu apenas apelo, Rubem (Novaes), me permite fazer uma brincadeira aqui. Eu apenas apelo para o seu coração, para o seu patriotismo, para que esses juros, tendo em vista você parecer ser um cristão de verdade, caiam um pouquinho mais. Tenho certeza de que as nossas orações tocarão seu coração", disse Bolsonaro à época.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia