Lula pediu para 'gerar governança' na Caixa e colher resultados a mais necessitados, diz Vieira

O novo presidente da Caixa Econômica Federal, Carlos Antônio Vieira Fernandes, disse nesta quinta-feira, 9, em seu discurso de posse, que o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, pediu a ele que "gere governança" no banco público e colha resultados para os mais necessitados. "Essa será a minha interferência na sua gestão", disse Lula, de acordo com Vieira.

O presidente da Caixa afirmou que um dos desafios é conduzir o banco público para a modernização e disse que não há dicotomia entre "banco público e social".

Vieira também ressaltou que é preciso não descuidar da questão ambiental.

Publicação de balanço e Rita Serrano

O novo presidente da Caixa ressaltou em seu discurso de posse que o banco público apresentará seu balanço no dia 14 de novembro e aproveitou para fazer um desagravo à presidente anterior da estatal.

"Temos de agradecer Rita Serrano, que trouxe a empresa de volta a esse patamar", declarou Vieira.

O tom dos discursos durante a posse de Carlos Vieira foi de elogios à gestão de Rita, que foi substituída após um acordo do governo Lula com o Centrão, e de críticas veladas a gestões anteriores, como a de Pedro Guimarães no governo Bolsonaro.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes