Bolsas da Europa operam sem sinal único, com Londres e Frankfurt em baixa e alta em Paris

Os mercados acionários da Europa exibem impulso limitado, nas primeiras horas do pregão desta semana, sem sinal único. Em dia de agenda modesta, analistas avaliam a inflação ao produtor da Alemanha, sem impacto decisivo hoje nas bolsas, e também aguardam mais sinalizações do Banco Central Europeu (BCE).

Às 6h30 desta segunda-feira, 20 (de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 operava em baixa de 0,05%, em 455,60 pontos.

Na agenda de indicadores, o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da Alemanha caiu 11,0% na comparação anual de outubro. Em setembro, a queda havia sido recorde, de 14,7% ante igual mês do ano passado. No mês, o PPI caiu 0,10% em outubro ante setembro. O dado, porém, foi alvo de reação modesta no mercado local.

No Reino Unido, há expectativa nesta semana pela divulgação, na quarta-feira, 22, pelo governo do país sobre as medidas fiscais almejadas para o próximo ano. Entre ações em foco nesta segunda, Ashtead Group recuava 10,07%, após revisar para baixo sua perspectiva de lucro para todo o ano atual.

Na política monetária, a DNB Asset Management alertava que o BCE e o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) poderiam manter postura dura por mais tempo, para garantir o controle da inflação. A gestora de ativos projetava que o primeiro corte de juros entre esses BCs poderia vir em meados de 2024, mas não descartava que os juros fossem mantidos em todo o próximo ano.

Às 6h42, a Bolsa de Londres caía 0,16%, Frankfurt recuava 0,14% e Paris tinha alta de 0,18%. Milão operava em queda de 0,22% e Lisboa subia 0,52%. No câmbio, o euro subia a US$ 1,0938 e a libra tinha alta a US$ 1,2489. *Com informações da Dow Jones Newswires.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes