PMI industrial do Brasil sobe para 49,4 pontos em novembro, revela S&P Global

O índice dos gerentes de compras (PMI) sobre a atividade industrial do Brasil subiu para 49,4 pontos em novembro, de 48,6 pontos em outubro, segundo dados divulgados pela S&P Global. A leitura, inferior a 50 pontos, porém, ainda sugere contração da atividade.

O movimento de alta no indicador veio de reduções menos intensas nas novas encomendas, na produção e nos estoques de insumos, assim como de um aumento na criação de emprego no ritmo mais forte em mais de um ano, embora a expansão nesta área tenha sido modesta, disse a S&P Global em um relatório.

A diretora associada de economia da S&P Global Market Intelligence, Pollyanna de Lima, disse que os empresários consultados para a elaboração do índice apontaram restrições à demanda vinda dos níveis elevados de preços, e que dificuldades para vender os produtos a valores competitivos no mercado internacional levaram a uma queda mais acentuada em novos pedidos para exportação.

"Embora o excedente de oferta de insumos em relação à demanda tenha induzido prazos de entrega mais curtos, não diminuiu as pressões sobre os preços. Os custos aumentaram pela primeira vez em sete meses, com uma tendência semelhante observada para os preços dos bens finais", afirmou a diretora.

Com isso, as empresas optaram por complementar a produção com estoques existentes em vez de comprar mais insumos, esperando para ver se haverá uma recuperação na procura por seus produtos. "Houve um vislumbre de esperança nos resultados mais recentes, na forma de quedas apenas marginais nos pedidos a fábricas e na produção. Outra ocorrência positiva sinalizada pela pesquisa PMI foi uma melhoria na confiança nos negócios, que se repercutiu na criação de empregos", afirmou.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes