Deságio médio de leilão de transmissão fica em 40,85%, informa Aneel

O leilão de empreendimentos de transmissão realizado na manhã desta sexta-feira, 15, na B3, em São Paulo, terminou com um deságio médio de 40,85%, informou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A chinesa State Grid levou o lote 1, o maior projeto ofertado, ao oferecer um desconto de 39,9% em relação à Receita Anual Permitida (RAP) máxima estabelecida no edital. O consórcio Olympus XVI, formado pelas empresas Alupar e Mercury Investments, arrematou o lote 2, com um deságio de 47,01%, enquanto o lote 3 ficou com a Celeo Redes Brasil, que desbancou a Eletrobras em disputa viva-voz ao oferecer desconto de 42,39% em relação à RAP máxima.

Os chineses se dispuseram a receber uma RAP de R$ 1,937 bilhão, a partir da conclusão das obras do lote 1, composto por 1.468 quilômetros de linhas de transmissão em corrente contínua, atravessando três estados (Maranhão, Tocantins e Goiás). O prazo para realização do projeto é de 72 meses, o mais longo já concedido pela Aneel por conta do porte e complexidade do empreendimento.

Já o consórcio liderado pela Alupar se comprometeu com uma RAP de R$ 239,5 milhões para a construção e operação de 552 km de linhas de transmissão nos estados de Goiás, Minas Gerais e São Paulo. O projeto visa a expansão das interligações regionais e da capacidade de intercâmbio de energia na região. O prazo para conclusão das obras é de 66 meses.

Por fim, a Celeo receberá RAP de R$ 101,2 milhões pelo lote 3, que prevê a construção de 388 km de linhas de transmissão no estado de São Paulo. O empreendimento ampliará as interligações regionais e a capacidade de intercâmbio de energia na região. O projeto deve ser concluído em até 60 meses.

Juntos, os três projetos devem consumir investimentos que devem superar R$ 21 bilhões, segundo estimativas da Aneel.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora