Fed/Barkin: pouso suave é cada vez mais possível, mas não é garantido ante riscos para economia

O presidente do Federal Reserve (Fed) de Richmond, Tom Barkin, afirmou nesta quarta-feira, 3 que um cenário de "pouso suave é cada vez mais possível" nos Estados Unidos, mas não é garantido. Segundo ele, quatro riscos centrais ainda rondam a economia americana e podem eventualmente exigir ações de política monetária.

Barkin alerta que a economia pode, por exemplo, perder o impulso visto em 2023, à medida que os efeitos das condições financeiras sejam transmitidos, ou ser abalada por turbulências inesperadas, como eventos geopolíticos ou estresses financeiros. O contrário também seria um risco, caso o crescimento acima da tendência persista e atrase o pouso da economia.

Além disso, o dirigente nota que a inflação poderia persistir acima da meta de 2% ou baixar apenas no que se refere à bens, o que dificultaria o trabalho do BC americano. "A inflação de serviços permanece elevada e temo que mais precisa acontecer para reduzir a demanda, seja de forma orgânica ou por meio de ação do Fed, para convencer negócios a reduzir preços", pontuou, em discurso preparado para evento da Câmara Municipal de Raleigh.

Deste modo, Barkin não descarta "potenciais aumentos nas taxas de juros" e defende que é "inaceitável" alterar a meta de inflação - por exemplo, para 3% - até que o banco central consiga reduzir os preços para o objetivo atual. De acordo com ele, isto é crucial manter a credibilidade do BC americano e os dirigentes farão "o que for necessário para retornar inflação à 2%".

"É importante ressaltar que não tomaremos decisões de modo automático, seguiremos dependentes de dados", concluiu o dirigente, que vota nas reuniões monetárias do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) deste ano.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes