Deflação no IPP de novembro interrompe três meses de altas de preços

A queda de 0,43% no Índice de Preços ao Produtor (IPP) de novembro interrompeu uma sequência de três meses de aumentos de preços, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com o resultado, o IPP teve deflação em nove dos últimos 13 meses, com aumentos de preços em apenas quatro (janeiro, agosto, setembro e outubro de 2023).

"O comportamento do segundo semestre de 2023 tem sido distinto com relação aos primeiros meses do ano, quando o predomínio do viés deflacionário foi mais claro. Mesmo assim, a média praticada em novembro na porta da fábrica permanece mais baixa do que o patamar de 2022", afirma o analista do IPP do IBGE Felipe Câmara, em nota oficial.

A taxa acumulada no ano foi negativa em 4,89%, a mais baixa para o período de janeiro a novembro desde o início da série histórica, em 2014. Em 12 meses, o IPP recuou 6,09%.

O IPP mede a evolução dos preços de produtos na "porta da fábrica", sem impostos e fretes, da indústria extrativa e de 23 setores da indústria de transformação.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes