Correção: Anac corrige informação: aviões Boeing 737 MAX-9 deixarão de operar no Brasil

A nota publicada anteriormente continha informação incorreta divulgada pela Anac. Neste domingo, a agência a corrigiu e afirmou que a Copa Airlines possui o Boeing 737 Max-9. Segue a versão corrigida.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) corrigiu informação veiculada neste sábado, 6, sobre não haver aeronaves Boeing 737 MAX-9 em operação no Brasil. De acordo com a agência, a Copa Airlines opera em voos internacionais no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, o mesmo modelo de aeronave, que protagonizou um incidente nos Estados Unidos.

"O equívoco na informação anteriormente enviada deveu-se a registro inadequado, realizado pela referida empresa aérea, nos cadastros da ANAC, agora devidamente verificados", afirmou em nota. Ontem a agência tinha informado que não existia aeronaves desse modelo operando no País.

Na última sexta-feira, 5, uma janela e parte da fuselagem de um avião da Alaska Airlines, com 174 passageiros, explodiu e a porta do avião abriu no ar, o que causou a descompressão em pleno voo e levou a um pouso de emergência logo após a decolagem em Portland (EUA). Não houve feridos.

Devido ao incidente, a Diretriz de Aeronavegabilidade emitida pela Federal Aviation Administration (FAA), autoridade de aviação dos Estados Unidos, determinou a suspensão das operações com a aeronave, que se aplica automaticamente às operações com a aeronave no Brasil. "Não há necessidade de decisão adicional por parte da ANAC nesse sentido", pontuou. A decisão afeta cerca de 171 aviões em todo o mundo, segundo a agência.

O Conselho Nacional de Segurança nos Transportes dos EUA informou que investigará o caso. A Boeing, fabricante do jato, disse, em comunicado de imprensa, que concorda e apoia a exigência de inspeção imediata das aeronaves.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes