PPSA fecha 2023 com arrecadação recorde de R$ 6,02 bi, 28% acima de 2022

A Pré-Sal Petróleo (PPSA) arrecadou R$ 6,02 bilhões em 2023 com a comercialização da parcela de petróleo e gás natural da União nos contratos de partilha de produção e acordos de individualização de produção (AIP). O valor é cerca de 28% acima do registrado em 2022 (R$ 4,71 bilhões), reflexo do aumento da produção nos contratos de partilha de produção e da conjuntura do mercado internacional de preços de petróleo, disse a PPSA em nota.

Durante todo o ano de 2023, foram entregues 33 cargas de petróleo da União - 11 a mais que no ano anterior -, o que totalizou 16,32 milhões de barris.

Deste total, 22 cargas foram provenientes do campo de Mero, duas de Tupi, quatro de Búzios, duas de Entorno de Sapinhoá, duas de Atapu e uma de Sépia.

Segundo a presidente interina da PPSA, Tabita Loureiro, somente com a comercialização da parcela de petróleo e de gás natural da União, a previsão é de que sejam arrecadados R$ 466 bilhões nos próximos dez anos. "Quase a totalidade da produção da União (97,5%) virá de projetos com declaração de comercialidade. Neste período, os contratos irão gerar uma receita total de R$ 1,15 trilhão para os cofres públicos, considerando a comercialização, o pagamento de royalties e os tributos recolhidos pelas empresas produtoras", explicou.

Desde 2013, quando foi instituída, a PPSA arrecadou R$ 14,65 bilhões para a União, sendo R$ 13,35 bilhões com a atividade de comercialização do petróleo e gás e R$ 1,3 bilhão com equalização de gastos e volumes realizada pela companhia em áreas onde a União tem participação nos Acordos de Individualização da Produção (AIPs).

Todos os recursos arrecadados são direcionados ao Tesouro Nacional.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora