Alta em serviços em novembro foi puxada por setor de outros serviços, diz IBGE

A expansão de 0,4% no volume de serviços prestados no País na passagem de outubro para novembro de 2023 foi influenciada por resultados positivos em três das cinco atividades pesquisadas: outros serviços (3,6%); profissionais, administrativos e complementares (1,0%) e serviços prestados às famílias (2,2%). Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O maior impacto positivo foi da atividade de outros serviços, impulsionada pelos serviços financeiros auxiliares, especialmente pelas empresas de uso do dinheiro digital, como as de máquinas eletrônicas de cartões de crédito e débito.

"A gente tem um uso muito maior do dinheiro digital do que do dinheiro físico, e isso só aumenta cada vez mais", justificou Rodrigo Lobo, gerente da pesquisa do IBGE. "Em novembro, foi Black Friday", acrescentou o pesquisador, lembrando que o número de transações digitais pode ter aumentado por causa do período de promoções.

A segunda maior contribuição para a média global dos serviços em novembro partiu dos serviços profissionais, administrativos e complementares, tendo como destaques as empresas de atividades jurídicas e as de cartões de desconto e programas de fidelidade.

A terceira influência positiva foi dos serviços prestados às famílias, puxado pela alta em alojamento e alimentação, mas também pelo avanço em outros serviços prestados às famílias, diante do bom desempenho do ramo de espetáculos teatrais e musicais, em função dos shows da cantora americana Taylor Swift no Brasil, explicou Lobo.

"Quando tem um show dessa natureza, acaba movimentando não só a população local de onde o show vai acontecer", disse ele. "Acaba movimentando transporte de passageiros, alojamento, acaba movimentando toda uma gama de serviços para além da receita da empresa promotora do evento. Há um efeito multiplicador sobre o aumento da receita das empresas prestadoras de serviços quando ocorre qualquer evento de maior magnitude."

Por outro lado, houve perdas nas duas atividades de maior peso no setor de serviços como um todo: transportes (-1,0%, quarta taxa negativa seguida, acumulando uma retração de 5,3% no período) e serviços de informação e comunicação (-0,1%, após avanço de 0,2% no mês anterior).

O recuo nos transportes, principal impacto negativo para a média global em novembro, foi puxado pela queda de 16,1% no transporte aéreo decorrente do aumento de 19,12% nos preços das passagens.

Já em serviços de informação, o ramo de telecomunicações caiu 3,2%, enquanto o de tecnologia da informação cresceu 1,3%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes