BNDES financia R$ 75 milhões para projetos de eficiência energética da Comerc

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a concessão de empréstimo de R$ 75 milhões à Comerc Eficiência, empresa do Grupo Comerc Energia que atua com diagnóstico e oferta de soluções de eficiência energética.

Os projetos apoiados pelo banco no âmbito da operação abrangem a implantação de soluções em eficiência energética para dez empreendimentos nos setores industrial e de varejo, assim como de utilidades em um edifício comercial.

"Com isso, os clientes da Comerc Eficiência devem obter reduções no consumo de energia de até 79%, gerando uma economia total estimada de até 66 GWh (gigawatts-hora) ao ano", informou o banco.

Dos R$ 75 milhões financiados pelo BNDES, R$ 27 milhões serão viabilizados com recursos do Fundo Clima, que tem como um de seus focos ações voltadas a promover a eficiência energética para sustentabilidade das cidades.

Segundo o banco, o apoio à Comerc Eficiência contribuirá para evitar emissões de gases de efeito estufa de até 59 mil toneladas de CO2e, em sintonia com a meta brasileira (NDC) e com o esforço mundial de mitigação das mudanças climáticas.

A operação vai permitir que a companhia promova maior eficiência energética junto a seus clientes por meio de projetos ligados à adoção de equipamentos nacionais de alta eficiência, atualização de sistemas de iluminação com luminárias de LED e instalação de serviços e sistemas de automação e controle.

"O financiamento à Comerc Eficiência está alinhado ao esforço de promover a eficiência energética em setores de elevado consumo, como indústria e varejo. Com potencial de evitar emissões de até 59 mil toneladas de gás carbônico, a iniciativa se insere na estratégia do BNDES para transição energética, o que permitiu também que o apoio contasse em parte com recursos incentivados do Fundo Clima", disse em nota a diretora de Infraestrutura, Transição Energética e Mudança Climática do BNDES, Luciana Costa.

"Esse financiamento nos traz a possibilidade de seguirmos oferecendo projetos de eficiência energética de forma ainda mais competitiva para os nossos clientes, do ponto de vista financeiro, assegurando a solidez necessária para seguirmos com o nosso pipeline robusto, com mais de 100 projetos em negociação", informou o diretor da Comerc Eficiência, Marcel Haratz.

Segundo dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o setor industrial responde por mais de 30% do consumo final de energia e quase 40% da eletricidade consumida no Brasil. Já o setor de serviços representa cerca de um quarto da eletricidade demandada, devido a iluminação, refrigeração e força motriz.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes