Espero uma normalização da economia em geral ao longo de 2024, diz Lagarde em Davos

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, afirmou nesta sexta-feira, 19, que espera "uma normalização da economia em geral" ao longo de 2024, durante painel do Fórum Econômico Mundial, em Davos. Entretanto, ela evitou comentar detalhadamente sobre a perspectiva da economia da zona do euro em 2024 ou sobre seu trabalho na política monetária, ressaltando que a próxima decisão de juros ocorrerá na semana que vem.

Segundo Lagarde, existem alguns fatores positivos, como a redução da inflação ao redor do mundo e um ritmo de consumo mais fraco do que o observado desde a pandemia. "Também prevemos um mercado de trabalho ligeiramente menos apertado e redução significativa das poupanças excessivas neste ano", disse, acrescentando que o comércio global também voltou a crescer e caminha rumo a normalização.

Participando do mesmo painel, a diretora-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Ngozi Okonjo-Iweala, reconheceu que o comércio global retomou o crescimento em 2023, mas apontou que os problemas no Mar Vermelho e no Panamá já estão afetando negativamente os fluxos globais. "E existem outros riscos negativos para a normalização do comércio neste ano, como uma guerra ainda maior, o que pode ser possível", alertou Ngozi.

Lagarde também falou sobre o atual cenário de fragmentação e reorganização do comércio, defendendo que estratégias como o "nearshoring" podem trazer novas oportunidades para os países. "A globalização teve um benefício inegável para o mundo e, se olharmos para a fragmentação em andamento, teremos mais fragilidade na oferta por um período. Mas talvez não seja um problema tão grande, considerando-se que focar a eficiência, em vez da segurança, nos trouxe outras dificuldades", ponderou ela, em referência aos gargalos na oferta durante a pandemia.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes