Grupo Habitação sobe 0,33% no IPCA-15, revela IBGE

O grupo Habitação viu os preços subirem 0,33% no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) de janeiro, com impacto de 0,05 ponto porcentual no indicador, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado foi influenciado por movimentos de preços difusos no território.

Importante item na cesta do grupo, energia elétrica residencial recuou 0,14% nacionalmente, influenciada pela incorporação de alterações nas alíquotas de ICMS em Recife, onde houve alta de 1,56% no custo do serviço, além de Fortaleza (-0,18%) e Salvador (-3,89%), a partir de 1º de janeiro.

Houve, ainda, apropriação residual do reajuste de -1,41% nas tarifas de uma das concessionárias de energia elétrica pesquisadas em Porto Alegre (0,32%), a partir de 22 de novembro.

Como o IPCA-15 considera os preços entre 15 de dezembro e 14 de janeiro, esse reajuste pesou parcialmente no índice do mês.

Também houve alta de 0,56% na taxa de água e esgoto do País, movimento influenciado pelos seguintes reajustes tarifários: 15,76% em Belém, a partir de 28 de novembro, que levou a uma alta de 6% nos preços do período considerado para o IPCA-15 de janeiro; reajuste médio de 4,21% em Belo Horizonte (alta de 2,79% nos preços considerados), a partir de 1º de janeiro; e de 4,97% em uma concessionárias de Porto Alegre (alta de 1,29% nos preços), também a partir de 1º de dezembro.

Já o gás encanado viu os preços subirem 1,01%, devido aos seguintes reajustes tarifários: de 3,30% em São Paulo (alta de 2,74% nos preços do período), a partir de 10 de dezembro; redução média de 0,45% no Rio de Janeiro (-0,23%) a partir de 1º de janeiro; e redução de 6,82% em Curitiba (-3,15%), também a partir de 1º de janeiro.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes