Japão se aproxima da meta de inflação, mas acomodação continuará, diz vice-presidente do BoJ

O vice-presidente do Banco do Japão (BoJ, pela sigla em inglês), Shinichi Uchida, disse nesta quinta-feira que a instituição está se aproximando de atingir sua meta de inflação de 2% de forma sustentável e de reavaliar sua política monetária ultra-acomodatícia. "Espera-se que a meta de 2% seja alcançada de forma desejável, acompanhada de aumentos salariais", afirmou Uchida, em discurso. "A probabilidade de essa perspectiva se concretizar tem aumentado gradualmente, embora persistam elevadas incertezas sobre desdobramentos futuros," acrescentou.

Mesmo que reconsidere sua política, o BoJ manterá condições financeiras acomodatícias para sustentar mudanças na dinâmica de inflação do Japão, ressaltou Uchida.

"(O BoJ) tomará medidas cautelosas para não criar descontinuidade antes e depois da revisão, e garantirá que o montante das compras de JGBs não mude significativamente e as taxas de juros não subam rapidamente", disse Uchida, referindo-se aos títulos do governo japonês.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes